Vituriano ataca TCE e insinua interferência em prol do ex-prefeito Carlos Antonio; José Aldemir faz defesa


O deputado Vituriano de Abreu (PSC) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa (AL) para desferir violento ataque aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Isto levando em conta o que ele considerou “facilidades” que o ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antônio (DEM), tem suas contas aprovadas, conseguidamente.

“O TCE aprovou as contas do ex-prefeito quando ele ainda precisa se explicar, sobre restos a pagar de mais de R$ 1 milhão. Eu posso garantir que as contas de Carlos Antonio serão aprovadas relativas a 2007, porque das outras vezes nós apontamos item por item as irregularidades nas contas do ex-prefeito e ainda assim o TCE aprovou as suas contas. O Tribunal faz questão de aprovar as contas de Carlos Antônio e acho que daqui a pouco vai convocar o ex-prefeito para integrar aquela Corte, só está faltando isso. Ninguém tem mais cartaz no Tribunal de Contas do que o ex-prefeito de Cajazeiras”, acrescentou Vituriano.

Segundo o deputado, o ex-prefeito de Cajazeiras “acumula uma tonelada de processos” na Justiça Federal e Estadual e esses processos não andam. “Só na Justiça Federal, em Cajazeiras, são oito processos contra o ex-prefeito, mas os processos não andam, porque tem lá alguém com o pé em cima”, ironizou.

Após o pronunciamento de Vituriano, o deputado José Aldemir (DEM) ocupou a tribuna para defender os conselheiros do TCE. “Não se pode fazer política o tempo todo em cima do palanque, porque Carlos Antônio fez a melhor administração pública de Cajazeiras. Mas ninguém pode chegar aqui e dizer coisas sem fundamente e sem consistência contra o Tribunal”, frisou o democrata.

José Aldemir insinuou que a campanha de Vituriano de Abreu foi financiada pelo filho, o atual prefeito Léo Abreu (PSB), com recursos públicos. “Mas eu não posso chegar na tribuna e dizer isso, porque é o que dizem, mas eu não acredito”, arrematou o deputado.

Reportagem de João Costa e Paulo Dantas do Paraíba.com.br

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *