O vice-presidente e corregedor do TRE-PB (Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba), desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira, reuniu no Fórum Ferreira Júnior, juízes, prefeitos, vice-prefeitos e presidentes de câmaras municipais das cidades de Cajazeiras, Bom Jesus e Cachoeira dos Índios para definir os detalhes acerca do início do cadastramento biométrico de eleitores da 42ª e 68ª Zonas Eleitorais com sede em Cajazeiras.

No encontro, os gestores assinaram termos de cooperação técnica entre o TRE-PB e as prefeituras, objetivando o desenvolvimento de ações conjuntas entre seus servidores para a instalação de postos de atendimento ao eleitor com vista à realização do cadastramento biométrico, que começará no dia 06 de março e vai até o dia 19 de dezembro.

Para o vice-presidente do TRE-PB, a biometria traz muito mais transparência para o processo eleitoral. Mas ele deixa um alerta: o eleitor que não fizer o cadastramento terá o título cancelado e consequentemente sofrerá graves sanções como impedimento de participar de concursos, de assumir emprego público, de contrair empréstimos e abrir conta em bancos, cancelamento de CPF, entre outras.

– O cadastramento é obrigatório. O eleitor terá que comparecer. O eleitor que não for cadastrado vai ter o seu título eleitoral cancelado, e aí ele só poderá se alistar novamente como eleitor depois das eleições de 2018, e isso pode representar um prejuízo muito grande – ressalta o desembargador.

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *