Gol nos acréscimos, polêmica com arbitragem e denúncia de “quebra-quebra” nos vestiários do Almeidão, em João Pessoa.

O final da 11ª rodada do Campeonato Paraibano não teve um saldo positivo para o Atlético de Cajazeiras, que acabou perdendo para o Botafogo-PB e saindo do G-4 do estadual.

Parecia até que o Trovão Azul iria afundar o Belo em sua crise. O time do técnico Ederson Araújo jogava melhor, e abriu o placar aos 24 minutos do primeiro tempo com Mosquito. Dois minutos depois teve um pênalti marcado ao seu favor. Alef foi para a cobrança, mas Michel Alves pulou no canto esquerdo para fazer a defesa.

A partir daí o time sertanejo passou a se fechar mais e não oferecia espaços para o Bota-PB.

Porém em um lance de bola parada, Wanderson apareceu livre para empatar. No segundo tempo, satisfeito com o resultado, o Atlético de defendia bem e seguia sem oferecer chances ao adversário. Até que, no último lance do jogo, em um abafa do Botafogo-PB, o time sertanejo tomou a virada.

Ederson Araújo analisou a partida, e fez questão de elogiar o time adversário.

– O jogo foi muito equilibrado. Viemos para jogar fechados e no contra ataque, conseguimos fazer um gol, tivemos chance de matar o jogo, mas perdemos o pênalti. O Botafogo-PB é uma equipe grande, cresceu, empatou em um erro nosso individual e conseguiu a vitória – analisou.

O gol da virada do Belo, marcado por Rafael Oliveira, aos 52 minutos do segundo tempo, não podia deixar de ser mencionado pelo comandante atleticano.

Os sete minutos de acréscimos foram dados por Pablo Alves devido ao grande número de atendimentos médicos dos jogadores do Trovão que caíam no gramado durante o segundo tempo.

Ederson se revoltou contra a arbitragem, e sugeriu que está havendo uma perseguição ao time cajazeirense em face da boa campanha apresentada pela equipe.

– Sobre a arbitragem, fica difícil. É até vergonhoso para o futebol paraibano o que estão fazendo. É a terceira vez que dão sete minutos de acréscimos contra nós diante de uma equipe grande. Você vai falar com eles e eles não aceitam, mas os adversários podem. Estamos fazendo um bom campeonato, apresentando um bom futebol, e diante dessas circunstâncias eles estão querendo tirar o Atlético do G-4 – acusou.

O fato é que a derrota para o Botafogo-PB acabou deixando o Atlético de Cajazeiras fora da zona de classificação para as semifinais do Paraibano. O clube era o terceiro colocado antes da rodada ser iniciada, mas foi ultrapassado por Auto Esporte e Treze, e agora ocupa a quinta posição.

Para tentar retornar ao G4, o Trovão vai ter que buscar um bom resultado na quarta-feira (08), quando enfrentará o Campinense no Amigão.

VOZ DA TORCIDA

Publicado por Christiano Moura

Christiano Moura é paraibano de Cajazeiras, lá no extremo oeste do Estado. Jornalista, radialista e multimídia, foi colaborador de emissoras de rádio locais, editor de arte do Gazeta do Alto Piranhas e diretor da revista Oba!, quando foi um dos pioneiros da blogosfera local. É titular da Farol Comunicação Integrada que, desde 2002, presta serviços em comunicação a diversas empresas e órgãos públicos da promissora região sertaneja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *