[REUDESMAN LOPES] Valeu, Maria Pereira!


Dona Bia Pereira

Nesta quarta feira 05, recebi uma notícia que jamais gostaria de tê-la recebido, ela dava conta do falecimento em Brasília de Maria Pereira. Essa senhora, de 90 anos de idade e “na casa” dos 91 como ela assim se referia, foi a grande responsável pela formação de uma leva de filhos entre eles: Erisvaldo, Sales, Minininho, Toinho, Valdinho, Eduardo, Nem e Mércia e os já falecidos Ivanete e Ivaldo. Mas, também ajudou a criar uma outra leva de meninos e meninas ali da Praça do Espinho que, pela amizade, os unia aos seus filhos e filhas, recebendo de Maria Pereira um carinho e um amor maternal e, entre estes, estava o professor Reudesman Lopes Ferreira.

A área da casa de Maria Pereira na Rua Pedro Américo era o nosso maracanã, naquele tempo um dos nossos passa tempo era o jogo de botão feito com tampas de remédio, de quenga de coco e até das tampas da brilhantina Zezé, e ela, com essa paciência e esse amor por todos nós, dizia-nos:”Hoje passei o pano no campo, só quero que não briguem”.

O Café com o jacaré de coco de Saora era outra das coisas que mais gostava lá na casa de Maria Pereira. O tempo passou, me casei e de repente me vi morando na Rua Pedro Américo, naquela casa já não estava mais aquela pessoa mulher de fala mansa, carinhosa com quem dela se aproximava, mas, fiquei vizinho de Erisvaldo seu filho o mais velho da casa, entretanto, as lembranças ao passar ali todos os dias, se faziam forte e lindas. Maria Pereira agora era senhora da capital federal, foi morar com a maioria dos filhos em Brasília, e naquela localidade se tornou Bia e com a sua bondade, fez nascer mais uma leva de filhos agregados, que o digam os meninos da AC2b e aqueles que chegaram mais cedo na terra do JK.

O amor desses a Maria Pereira, como os dos meninos da Praça do Espinho, tornou-se maternal, ouvi tantas declarações deles que apenas confirmava tudo aquilo que nos marcou na infância e adolescência. Hoje, com essa saudade que sacode o meu coração, testemunho a minha felicidade de, com certeza, ter feito parte, pelo menos em um pedacinho da vida dela, isso graças a Toinho, Eduardo, Erisvaldo, Valdinho, Mininho, Sales e Ivaldo, os filhos homens. Para quem a conheceu e quem como nós gozou de momentos de muita festa ao seu lado, tem a noção exata da mulher, mãe, amiga, Maria Pereira. Para Deus vai os nossos agradecimentos em colocar no nosso caminho uma mulher com ela foi e para toda a família fica a lição e os ensinamentos que ela deixa para cada um deles. Valeu Maria Pereira.

REUDESMAN LOPES

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *