Política, Cotidiano, Esportes, Memória & afins

Renato Cajá diz que se arrepende de ter recusado proposta do São Paulo

FOTO: DIVULGAÇÃO
AM3 – 250×250

Atualmente no Juventude e aos 35 anos, o meia Renato Cajá defendeu 14 clubes ao longo da carreira, sendo cinco passagens só pela Ponte Preta, mas admite que faltou pelo menos mais um time no currículo: um dos grandes do estado de São Paulo. E não foi por falta de oportunidade.

Em live no canal da “Goal Brasil”, o meia revela que teve a chance de defender São Paulo ou Corinthians no início da carreira, em 2008, quando foi o principal destaque do vice-campeonato paulista da Ponte e acabou eleito como Craque do Interior.

Segundo ele, o São Paulo ofereceu um contrato de cinco anos e era o favorito na disputa, enquanto Mano Menezes fez uma espécie de “convite” durante um jogo. Ao relembrar do episódio, Cajá diz que se arrepende de ter descartado o Tricolor.

– Algumas decisões talvez foram mal pensadas. Em 2008, o São Paulo veio com contrato de cinco anos. Tinha o Corinthians também, eu estava definindo entre um e outro e defini pelo São Paulo. Era um moleque de 22, 23 anos, o São Paulo com um grande elenco. Meu empresário falou que eu talvez não fosse jogar lá pelo elenco que o São Paulo tinha. Poderia ter ido para o São Paulo, ter tentado fazer minha história nesse clube. Minha carreira poderia ter sido melhor dependendo de algumas decisões.

– Poderia ter vestido uma dessas camisas, ficou um gostinho meio amargo. Teve uma outra situação em 2008. Eu estava dentro de campo, jogo contra o Corinthians, o Mano Menezes passou do meu lado e falou: “Você vai trabalhar comigo ainda, vou te levar para o Corinthians”. Um técnico do status do Mano falar que queria você no time dele…

Cajá lembra que o Corinthians fez uma outra investida em 2015, quando estava em alta na Ponte Preta e ficou muito próximo de se transferir para o Cruzeiro, mas acabou optando pela oferta do Al Sharjah, dos Emirados Árabes.

– O Corinthians estava bem interessado, mas financeiramente não estava querendo pagar bem. O que teve de mais concreto naquele ano foi o Cruzeiro, com contrato de três anos, mas aí acabou vindo o clube dos Emirados Árabe, quando estava quase tudo certo com o Cruzeiro, e tem coisa que você tem de aproveitar, pegar e seguir.

Sem entrar em detalhes e nem especificar o ano, o meia também citou que o Palmeiras chegou a mostrar interesse no seu futebol em determinado.

– Também teve uma situação do Palmeiras bem real. Não me lembro o ano, mas era praticamente certa. Mas o São Paulo foi o time que fiquei mais perto de ir, mas acabei decidindo não ir.

Além de Juventude e Ponte, Renato Cajá atuou por Grêmio, Botafogo, Vitória, Bahia, Goiás e Ferroviária no futebol brasileiro e também teve outras experiências internacionais pelo mundo árabe, Turquia, Japão e China.

Na mesma entrevista, Cajá reforçou a identificação com a Ponte Preta e falou em “milhões” quando recordou a tentativa do Guarani de contratá-lo, em 2012. Leia mais aqui!

TATYANA
FONTE: GLOBO ESPORTE
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.