Presidida por Júnior Araújo, ALPB instala Frente Parlamentar do Desenvolvimento da Aviação Regional


A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) instalou, durante sessão especial realizada nesta quinta-feira (29), a Frente Parlamentar do Desenvolvimento da Aviação Regional, que tem como objetivo desenvolver a aviação civil no Sertão paraibano, fortalecendo o setor comercial e a economia da região.

De acordo com o presidente da Frente, o deputado Júnior Araújo, o desenvolvimento da aviação regional é importante para atender os anseios das cidades do interior do estado, a exemplo de municípios como Cajazeiras, Sousa, Patos e Itaporanga. O deputado acredita que a expansão do setor nessas regiões irão fomentar a economia, além de beneficiar aproximadamente 1 milhão de pessoas. “Há uma carência muito grande, especificamente, das cidades que fazem divisa com o Ceará, perdendo um potencial comercial muito grande”, declarou.

O parlamentar ressaltou que, atualmente, o aeroporto de Juazeiro do Norte, no Ceará, tem absorvido um fluxo de voos, maior do que aeroporto Castro Pinto, na Região Metropolitana de João Pessoa. “Isso é fruto justamente desse vácuo geográfico que existe. Nós estamos tentando viabilizar voos comerciais partindo de Cajazeiras para Patos, de João Pessoa a Sousa, de Campina Grande a João Pessoa, Sousa a Patos e Cajazeiras. Hoje vamos dar um ‘pontapé’ nessa discussão, justamente com essa Frente Parlamentar”, explicou o deputado.

O secretário estadual do Turismo, Gustavo Feliciano, declarou que a inclusão do interior da Paraíba na rota da aviação regional será positiva, não só para o setor comercial, mas também para o turismo. “Iríamos desenvolver o turismo no interior do estado de uma forma ainda mais forte atraindo voos. Quando temos a infraestrutura turística, esses voos tendem a transportar os turistas melhor e mais rápido. Essa Frente vem para debater relevantes ações e o Governo do Estado está satisfeita em contribuir e se coloca a disposição, para que possamos trazer benfeitorias para a Paraíba”, afirmou o secretário.

Na avaliação do presidente da Agência Brasileira da Aviação Civil (ABAC), Givanildo Nascimento, a Paraíba tem se destacado em relação a outros estados, após as reformas e as requalificações pelas quais passaram os aeródromos do estado. Ele acrescenta ainda que os equipamentos paraibanos estão aptos a operar com voos executivos, mas com a possibilidade de uma requalificação para voos comerciais.

“Aeródromos como os de Cajazeiras e de Patos estão qualificados a receberem voos regionais. Temos que trabalhar com a aviação regional de médio porte, ou seja, esses aeródromos estão aptos a receberem aviões monomotores, bimotores e os de médio porte, que são aeronaves que têm a capacidade de até 12 passageiros”, explicou o presidente da Agência Brasileira da Aviação Civil.

O presidente da Fecomércio da Paraíba, Marcone Medeiros, entende que haverá um grande desenvolvimento comercial para o Sertão Paraibano a partir de iniciativas que possam proporcionar uma evolução na aviação daquela região. Medeiros destaca que a Paraíba precisa, através da união de empreendedores com a classe política, conquistar uma aviação regional que possa ligar a Capital ao Sertão. “Hoje, o empresário, se precisar sair de João Pessoa para o Sertão, ele perde três dias de seu tempo, ou seja, é uma verdadeira perda de tempo e de força de decisão em bons negócios”, declarou.

Marcone Medeiros disse também acreditar que o serviço de aviação aérea regional, atendendo João Pessoa, Campina Grande e a região do Sertão, trará novos investimentos para o estado. “Levará desenvolvimento e crescimento para aquela região”, pontuou.

O presidente da Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) de Cajazeiras, Alexandre Costa, afirmou que a Frente Parlamentar do Desenvolvimento da Aviação Regional, criada pela Assembleia e presidida pelo deputado Júnior Araújo, é um marco para a Paraíba, principalmente, pelo fato de que o Governo do Estado realizou investimentos nos sete aeródromos da Paraíba.

Costa entende que é preciso agora definir uma política estadual para operar esses equipamentos. “Acredito que com essa iniciativa, nós iremos debater com as autoridades do setor aeroviário do estado a respeito da destinação que será dada a estes aeródromos, se o Governo do Estado fará novos investimentos e vai operacionalizá-los ou irá concedê-los à iniciativa privada”, observou o presidente Alexandre Costa.

Gerente Executivo Aeroviário da Paraíba, o Capitão Batista, do Corpo de Bombeiros, ressaltou que os aeródromos da Paraíba, após reforma feita pelo Governo do Estado, estão homologados e prontos para operar recebendo aviões executivos, que envolvem aviões de médio e grande porte. No entanto, o capitão revelou que estudos vêm sendo realizados para que alguns desses equipamentos possam receber voos maiores e um maior volume de passageiros.

“Nossa Gerência está dando prioridade total ao projeto de Patos. É uma obra de R$ 38 milhões, com recursos da Secretaria de Aviação Civil e a contrapartida do Governo do Estado, em torno de R$ 10 milhões. Com o cronograma estabelecido junto com a Secretaria, a previsão é que até o final de 2020 estaremos iniciando as obras”, revelou.

Também estiveram presente na instalação da Frente Parlamentar do Desenvolvimento regional da Aviação os deputados Doutor Érico, Doutora Paula e Lindolfo Pires; o presidente da CDL de Patos, Oton Ferreira da Silva; o presidente da CDL de João Pessoa, Nivaldo Vilar; a diretora de Educação Profissional do Senac, Vera Lúcia; e o representante da Sindempresas de Sousa, Francisco Medeiros.

COM INFORMAÇÕES DA ALPB

3 Comments

  1. Avatar
    Roberval Moreira
    30/08/2019

    Aeródromos como os de Cajazeiras e de Patos estão qualificados a receberem voos regionais. Temos que trabalhar com a aviação regional de médio porte, ou seja, esses aeródromos estão aptos a receberem aviões monomotores, bimotores e os de médio porte, que são aeronaves que têm a capacidade de até 12 passageiros”, explicou o presidente da Agência Brasileira da Aviação Civil.
    Já estão falando besteira vejam porque:
    o aeródromo de Cajazeiras o PCN dela é de 26
    capacidade do aeródromo de Cajazeiras é no mínimo de:
    por exemplo:
    PCN de 12 – Aviões com capacidade para 40 passageiros
    PCN de 14 – Aviões com capacidade para 72 passageiros ou seja o aeroporto de Cajazeiras tem capacidade de receber aviões de médio e grande porte portanto já estão rebaixando a capacidade do aeródromo de Cajazeiras, agora o aeroporto de patos se vocês forem no site da ANAC o aeroporto de pato o PCN da pista é de 6 ai tudo bem patos hoje só pode receber aviões de ate 18 passageiroso os deputados de Cajazeiras tem que ficar esperto se não a turma de Sousa e Patos vai tumultuar essa comissão.

  2. Avatar
    Roberval Moreira
    02/09/2019

    Presidente Júnior Araujo, aviação regional é feita de forma que a maioria da população tenha acesso a demanda de passagem que a empresa que for funcionar no sertão, e para é preciso que empresa que for pregar este serviço tenha aeronaves no mínimo do porte do avião ATR 72, fazendo rota de fortaleza Cajazeiras e João Pessoa, eu falo atualmente hoje Cajazeiras devido a cidade ter o melhor aeródromo de todo alto sertão, com uma pista com classificação de 26 PCN, quando Patos fizer a reforma DDE seu aeroporto e aumentar a resistência de sua pista e só incluir patos também na rota já que a pista do aeroporto de patos não suporta hoje um ATR, sua capacidade é no maximo de aeronave de 20 passageiros, deputados a aeronave ATR 72. seria uma aeronave excelente para começar a funcionar no aeródromo de Cajazeiras pois se trata de avião que não necessita por exemplo de escadas para os passageiros entrarem e saírem da aeronave, ela já tem acoplada nela mesmo, faltando apenas fazer no aeródromo de Cajazeiras ampliar um pouco o terminal de passageiro com esteiras e outras coisas necessárias para r de passageiros, é clara também um posto parra abastecimento das aeronaves e também uma brigada contra incêndios e possíveis sinistros, e o governo da Paraíba devera baixar o ICMS do combustível, para incentivar as empresas, esse seria o projeto ideal para fazer decolar aviação regional no sertão paraibano. Agora esse projeto de colocar aeronave com 12 passageiros saindo de Cajazeiras, Sousa, Patos para João Pessoa, não vvai dar certo primeiro não poderá sede chamado de aviação regional e sim aviação executiva e por mais que o governo de encentivo a esse tipo de projeto o preço regra ficar muito próximo aos 900 reais excluindo a maior parte da população a usar esse meio de transporte caracterizando como aviação executija , o primeiro projeto com uma aeronave de no mínimo 70 passageiros se torna viável as passagens ficarem mais baratas em torno de 200 reais, alem disso essa aeronave tem um custo operacional mais garoto e ela transporta cargar também. É assim que eu vejo a possibilidade da aviação regional decolar no sertão da Paraíba.

  3. Avatar
    Roberval Moreira
    02/09/2019

    Veja a estimativa da população por município:
    Cidade População
    1º Cajazeiras 62.187
    2º São José de Piranhas 20.163
    3º São João do Rio do Peixe 17.940
    4º Uiraúna 15.382
    5º Bonito de Santa Fé 11.938
    6º Cachoeira dos Índios 10.265
    7º Triunfo 9.482
    8º Santa Helena 5.887
    9º Monte Horebe 4.825
    10º Poço de José de Moura 4.318
    11º Poço Dantas 3.770
    12º Bernardino Batista 3.438
    13º Joca Claudino 2.690
    14º Carrapateira 2.667
    15º Bom Jesus 2.567
    TOTAL 177.519

    Veja a estimativa da população por município
    Cidade População
    1º Sousa 69.554
    2º Aparecida 8.430
    3º São José da Lagoa Tapada 7.679
    4º Nazarezinho 7.296
    5º Santa Cruz 6.585
    6º Marizópolis 6.614
    7º Vieirópolis 5.358
    8º São Francisco 3.363
    9º Lastro 2.725
    TOTAL 117. 604

    Fazendo uma analise simples isso mostra que Cajazeiras e sua micro região tem uma população muito superior a micro região de Sousa são mais de 59.915, isso mostra a importância da de Cajazeiras e sua micro região. Portanto essas duas micro região justifica ter linha aéreas.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *