Praça Cardeal Arcoverde

Eu conheço cada palmo desse chão

Pequeno quadrilátero existente no cruzamento da Rua Coronel Peba com a Rua Padre Rolim. Na década de vinte, do século passado, quando Dom Moisés Coelho começou a construir o palácio Episcopal, a edilidade desapropriou uma pequena faixa de fundos de quintais da Rua Juvêncio Carneiro, para compor um ambiente ajustado à dignidade do chamado palácio do Bispo.

Com a conclusão daquele prédio, edificado por Dom João da Mata Andrade e Amaral, a Prefeitura cuidou de fazer um arremedo de praça naquele pequeno terreno de ângulo morto, compondo o belo conjunto arquitetônico do Palácio Episcopal e Catedral Nossa Senhora da Piedade, cuja construção fora iniciada por D. João da Mata.

Ele mesmo sugeriu como patrono da praça o nome do Cardeal Arcoverde, em cujo cardinalato, Cajazeiras conquistou a dignidade episcopal de sede da Diocese, criada em 1914, no sertão paraibano.

O Cardeal Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti nasceu a 17 de janeiro de 1850, na Fazenda Fundão, município de Arcoverde, Pernambuco. Filho de Antônio Francisco de Albuquerque Cavalcanti e Marcolina Dorotéia Pacheco do Couto, foi aluno do Colégio do Padre Rolim e ordenado Sacerdote em Roma, no ano de 1864. Ao retornar ao Brasil, exerceu os cargos de professor e Reitor do Seminário de Olinda; Pároco da Paróquia de Boa Vista, em Recife; Vigário de Combres (Paróquia de Pesqueira – Pernambuco); Professor e Diretor do Ginásio Pernambucano, em Recife; Bispo das Dioceses de Goiás e de São Paulo e primeiro Cardeal da América Latina. Era formado em Ciências Pastorais pela Universidade de Sorbone, em Paris. Faleceu no Rio de Janeiro a 18 de abril de 1930.

 

 

FONTE:

DO LIVRO ‘RUAS DE CAJAZEIRAS’, DE DEUSDEDIT LEITÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *