População cobra providências em relação ao aumento de cães nas ruas de Cajazeiras


Reclamações têm sido constantes devido à falta de providências em relação ao número cada vez maior de cães perambulando pelas ruas de Cajazeiras. Além de estarem doentes, o que traz risco à comunidade, os animais rasgam os sacos de lixo para se alimentarem.

Toda a estrutura de apoio aos animais foi desmontada nos últimos meses. Uma entidade estava construindo, com doações, um canil, que encontra-se com obras paralisadas. Uma faculdade iniciou um trabalho de castração dos cães, como forma de controlar o crescimento da população canina, em parceria com o município, mas também não foi pra frente e parou de funcionar em pouco tempo.

Para piorar a situação, a ativista Cléo Moura, que também tem uma entidade protetora de animais, recolhe cães doentes, alimenta, trata e os oferece para adoção, foi exonerada do cargo de coordenadora do setor de zoonozes da Prefeitura de Cajazeiras e está fazendo o trabalho em casa, mesmo sem condições de tratar e alimentar tantos cães doentes, acidentados, abandonados e vítimas de maus-tratos.

Um abaixo-assinado, que tem mais de 5 mil assinaturas, está circulando nas redes sociais pedindo o retorno de Cléo Moura ao cargo na Secretaria Municipal de Saúde, para que alguma estrutura seja desenvolvida para abrigar esses animais, tendo em vista que falta um veículo para transportar os animais, além de um canil, ração e veterinário.

Na gestão passada, existia um canil alugado pelo setor de zoonoses, além de uma carrocinha para fazer o transporte, inclusive de cães com suspeita de leishmaniose, que, em caso de comprovação da doença, eram sacrificados.

COM INFORMAÇÕES DO GAZETA DO ALTO PIRANHAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *