Parabéns, Luciano Holanda!

A COLUNA DE RAFAEL HOLANDA

“Mesmo que o tempo me fosse injusto ao impedir o enxergar ou ouvir, guardaria na lembrança as doces memórias dos bons tempos onde tua voz e teu carinho me tornaram orações.”

Parabéns meu dileto irmão, e que Deus na sua infinita bondade seja sempre a luz dos seus dias, trazendo sempre o que existe de melhor para consolar as dores de muitos, e curar as enfermidades de tantos.

Que nada de diferente venha ocorrer pelo caminho, que sua caminhada seja sempre o enxugar das lágrimas, a canção de esperança para os que vivem na miséria do sofrimento.

Que cada dia seja perfeito desde o amanhecer, e com isso possa enfrentar as tempestades que o mundo costuma de se apresentar em forma de armadilha.

Seja sempre o ajudar, compreendendo que somos passiveis destas mesmas coisas que ocorrem, e com a dignidade lhe torne perdão.

Reze para que nos momentos de suas tormentas encontre sempre alguém para ajudar a superar o que se faz estranho, obscuro, e que com a força de sua fé faça prevalecer verdade e luz.

Que o bom do dia seja a esperança de uma tarde saudável com a certeza que as coisas boas foram realizadas com o intuito de ajudar aqueles que se perdem na solidão de um dia sem a luminosidade necessária para prosseguir.

Que a beleza da paz lhe seja sempre companheira, pois a caridade é a mãe de todas as artes celestiais que visa trazer para vida os injustiçados, os que vivem em leitos hospitalares, os que nascem sem terem a certeza de viver.

Que nada seja esquecido de cumprir, que os seus braços sejam forças para os que necessitam de um alento, e se transforme em verdadeiro memento para aliviar os sofrimentos que se acumulam neste mundo, onde somos apenas filho do Dono.

Que Deus lhe cubra com o tapete estrelado da noite, após cumprir todos os atos que venham na realidade fazer com que a noite seja o silêncio de paz e proteção.

Que nada de mal venha cruzar o seu caminho, que suas passadas sejam abençoadas e estas passadas se perpetuem no solo da sua estrada para que sirvam de exemplos aos que estão aos que chegam e outros que virão.

Que a glória do Senhor seja sempre ouvidor de suas preces, porque elas partem de um coração que soube acumular a arte de amar, se dividir entre as alegrias e dores e pela vontade da alma foi capaz de amenizar um sofrimento.

Do irmão Rafael Holanda e família.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *