Padre critica faculdade por não oferecer bolsas de estudo aos seminaristas


O monsenhor Gervásio Queiroga, padre da Diocese de Cajazeiras e fundador do Instituto Jesus Missionário dos Pobres (IJMP), lamentou o fato de o Instituto não estar conseguindo arcar com a formação dos seminaristas no curso de Filosofia em Cajazeiras.

Porém, ele justificou que isso acontece porque a única instituição de ensino superior que tem esse curso na cidade não oferece bolsas de estudo, enquanto que em Quixadá, segundo ele, há bolsas e os gastos são bem menores.

“A Diocese tem condições de oferecer a todos os seminaristas estudos praticamente gratuitos. Eu pago por mês, por aluno, R$ 100. Isso eu posso pagar. Mas se eu tiver quinze alunos para pagar R$ 500, eu não posso. É por esse motivo, com muita pena para mim, porque eu gostaria que fosse em Cajazeiras o nosso seminário maior, mas não é. Nós temos aqui o prédio, mas não temos condições de manter todos os seminaristas pagando integralmente”, disse.

Outra crítica feita pelo monsenhor é com relação à falta do curso de Teologia em Cajazeiras. Sobre isso, ele ressalta que além da dificuldade financeira em manter uma faculdade dessas, há muitos anos a Diocese não ajuda mais a formar padres em Roma, Itália. O bispo Dom José González Alonso, que antecedeu o atual, Dom Francisco de Sales, mandou apenas dois estudantes em 14 anos, segundo ele.

“Um ponto grave na Diocese é não ter gente com titulação e preparação, seja para Filosofia seja para Teologia, coisa que lá em Quixadá o bispo mandou bem vinte na sucessão dos anos. Eu acho que isso é um problema grave. Acho que Dom Francisco de Sales pode pensar nisso, mas estamos, de fato, com uns vinte anos de atraso”, declarou.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *