Os jornais de Cajazeiras (6ª parte)

A COLUNA DE FRANCELINO SOARES

TATYANA
0
AM3 – 250×250

Centêlha – Pode-se afirmar que nasceu na mesma trilha editorial de A Penna e, provavelmente, dava sequência ao modelo já existente com o seu congênere: pequeno jornalzinho destinado a apresentar os trabalhos dos alunos que, na época, dirigiam Arcádia Padre Rolim, existente no Colégio de mesmo nome. Não mantinha uma periodicidade constante, mas é provável que tenha circulado, pelo menos, de 1934 a 1937.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ESTADO NOVO, possivelmente, junto com o Correio do Sertão, tenham sido os dois de periocidade mais longeva dentre os jornais que circularam na região naqueles tempos. Foi “fundado sob os auspícios da mocidade”, o que nos sugere haver aí o “dedo” do Prof. Antônio José de Souza, de O SPORT, uma vez que consta haver este sido um dos seus redatores. Com publicação semanal, o seu nº. 1, que circulou em 7 de junho de 1939, apresentava, na sua primeira edição, os seguintes créditos referentes ao seu corpo editorial: Diretor – Dr. João Jurema; Redator-Chefe – Dr. Celso Matos; Gerente – Antônio Carvalho; Secretário – Antônio Assis Costa (Tota Assis). Foram seus principais redatores: Dr. Otacílio Jurema, Luiz Sobreira Cartaxo (Laíres) e João Mendonça Júnior. Ao que consta, o quadro editorial apresentou algumas alterações, aparecendo, ainda, fazendo parte do grupo: Vice-Diretor – Dr. Otacílio Dantas Cartaxo; Redator-Secretário – Antônio José de Souza. Mantinha uma linha editorial aberta, simpatizante do regime ditatorial estado-novista do Presidente Getúlio Vargas, mas mantendo uma linha mais informativa e publicitária. Circulou até o ano de 1943.

ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.