O pai rico

Gaiatice, fuleiragem e o mais puro espírito de cajazeirabilidade

FOTO ILUSTRATIVA

O industrial Galdino Pires Ferreira foi um dos mais profícuos e abonados moradores de Cajazeiras na primeira metade do século XX.

Todos os dias, saía de seu casarão, na Praça Monsenhor Constantino Vieira (hoje, Praça Major Galdino Pires) e ia caminhando até as instalações de sua empresa algodoeira na Praça Major José Marques.

Pai de respeitada e proeminente prole, dentre os quais o médico Waldemar e o químico Higino, que circulavam pela cidade em reluzentes automóveis, causou estranheza a um cidadão aquela sua rotina diária:

– Major Galdino, por que o senhor anda à pé enquanto seus filhos cada um tem um carro?

O velho industrial respondeu sabiamente e na bucha:

– É porque eles têm pai rico; eu, não!”

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *