Aos poucos, o Brasil tem observado o crescimento do interesse dos brasileiros pelos benefícios de se levar uma vida ativa. O acesso à informação através das mídias tem gerado esse aumento da busca por programas. Mas, o que encontramos como resultado final é que esse aumento ainda não é efetivo. Ou seja, ele não ocorre de maneira consistente.

Ter interesse e se preocupar é o primeiro e importante passo. No entanto, encontrar uma atividade que realmente seja motivadora é o que fará a diferença em termos de melhorias de saúde individual e populacional. O número de inscritos nas academias e programas realmente ampliou. Mais pessoas estão atentas e sabem que precisam se movimentar.

O que ocorre, porém, é que o número de praticantes efetivos e regulares, que são aqueles que vão gozar dos benefícios da atividade física, ainda permanece pequeno e cresce de maneira praticamente vegetativa. Um dos fatores que contribui para esse crescimento da busca pela atividade física é o fato de, cada vez mais, a ciência comprovar os benefícios por ela trazida seja na prevenção, seja no combate dos mais diferentes males tanto do corpo quanto da mente.

E essas pesquisas têm sido amplamente divulgadas. Nesse ponto, vale destacar que em relatório recente a Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo. São 9,3% da população com algum tipo de transtorno, índice três vezes superior a media mundial. Mas, como será que os exercícios agem no controle da ansiedade?

Explico: ao final de uma atividade física, há o alívio do estresse e uma sensação de cansaço que faz, naturalmente, o corpo precisar de descanso e recuperação. Essa sensação reduz consideravelmente o sentimento da ansiedade. O exercício físico também estimula a produção de endorfina, hormônio ligado à sensação de bem- estar, felicidade e de prazer, sensações que se contrapõem à ansiedade.

Claro, esses benefícios acontecem com a prática regular e constante ao longo do tempo. Sessões esporádicas trazem pouquíssimos benefícios e sensações não agradáveis. O exemplo representa uma breve amostra do poder que uma vida ativa exerce sobre nós. A notícia do aumento do número de pessoas com essa percepção é positiva e animadora.

É preciso que os profissionais da Educação Física sigam empenhados em colocar em prática tudo que a ciência nos tem comprovado, com o objetivo de inserir a realização de atividade física definitivamente como um hábito saudável para os brasileiros.

Milagres? – Havia muitas dúvidas quanto a certeza de sucesso de Sousa e Campinense chegarem juntos a segunda fase do brasileiro da Série D, mas, em campo, os dois clubes que representa o nosso futebol não tomaram conhecimento da onda de pessimismo contra eles. Assim, em Caruaru, o Sousa foi heroico e derrotou o Central pelo placar de 1 a 0 conquistando historicamente a sua ida para a fase seguinte desta competição. Em Campina Grande, mesmo sem ter aquele apoio do seu torcedor, o Campinense venceu o Atlético de Pernambuco, 2 a 0, e segue mantendo os sonhos na nação do Trovão Azul. Os jogos da segunda fase estão a depender do STJD que julgará a inclusão de um jogador de forma irregular por parte do São Raimundo.

Boa nova – Tudo faz crer que agora sairá mesmo o nosso sonhado Museu de Cajazeiras e com ele teremos um local para levar à mostra o imenso acervo que temos sobre o futebol de Cajazeiras. Para tanto, já conversei com o secretário de cultura, Chagas Amaro, para a disponibilização de um espaço para levarmos a conhecimento dos visitantes do museu o farto material fotográfico, de taças e troféus e de documentos que será doado por nós para a Prefeitura Municipal de Cajazeiras. A fase atual é de organização de todo o acervo para que este fique bem estruturado e de conformidade com o que desejamos mostrar..

BOLA DENTRO – Para as classificações de Campinense e Sousa à próxima fase do Brasileirinho da Série D. Não resta dúvida que elas foram heroicas e históricas. Merece a NOTA 10!

BOLA FORA – Para a falta de apoio ao Sousa. Aldeone confirma salários atrasados e pouca ajuda ao Dinossauro. Bem que os empresários sousenses poderiam dar a sua contribuição ao clube da cidade. Enquanto ela não chega. Vai a NOTA 0!

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *