“Não é por falta de projeto que Cajazeiras vai perder o IML”, dispara coordenador do MAC

TATYANA
AM3 – 250×250
O coordenador do Movimento dos Amigos de Cajazeiras (MAC), Rubismar Galvão, disse à reportagem do Diário do Sertão que se a Prefeitura de Cajazeiras não elaborar o projeto de construção do Instituto Médico Legal (IML) da cidade, vai pedir ajuda a comunidade, pois a população não pode deixar de receber um benefício desses por falta de um projeto.

Galvão enfatizou que não acredita que a prefeitura não vá cumprir com sua obrigação, que é justamente apresentar o projeto do IML, para que seja encaminhado à Brasília e seja incluído nas emendas orçamentárias do Senador Vital do Rêgo (PMDB). “Eu não creio que a prefeitura não elabore esse projeto. Não acredito que ela faça isso com a população de Cajazeiras”, ponderou.

Ele ainda ressaltou que a elaboração desse projeto deve ser urgente, pois se demorar muito corre o risco de não conseguir mais a emenda do senador, pois são muitos prefeitos da Paraíba que pedem esse tipo de verba a Vitalzinho. “Sem projeto não tem emenda; mas a prefeitura iniciou esta semana a elaboração do projeto, mesmo tardiamente, mas começou a fazer”, frisou o coordenador.

O outro lado

O secretário municipal de Planejamento, Gonzaga Delfino, confirmou que os técnicos da Prefeitura já se reuniram com o professor José Cezário, diretor do Campus de Cajazeiras da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), para que o projeto seja elaborado dentro dos parâmetros exigidos pela universidade e pelo IML. “Está havendo a interação entre prefeitura e UFCG para que o projeto seja elaborado, inclusive a área onde será construído já foi identificada”, afirmou o secretário.

Pacto

A pactuação para construçaõ do IML em Cajazeiras foi a seguinte: o senador Vital do Rêgo ficou responsável em disponibilizar as verbas, a prefeitura ficou responsável pela elaboração do projeto e a UFCG em doar o terreno e licitar a obra após a liberação das verbas. O Governo do Estado deverá assumir as despesas com funcionários.

ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.