Município de Cachoeira dos Índios não tem mais água nas torneiras e população está sendo abastecida em em chafarizes


 

bomba-dagua-jato-2500-cubos-c-chafariz-220v-ou-110v-13882-MLB3405183466_112012-O

A cidade de Cachoeira dos Índios entrou em colapso total no seu abastecimento de água desde o último dia 02, quando o açude de São Joaquim que vinha fornecendo a água para o consumo, mesmo de forma racionada, secou, não tendo mais como fornecer o precioso líquido, afetando diretamente uma população de cerca de 4.000 pessoas, que eram atendidas, na cidade, pelas 1.470 ligações existentes, além de comunidades rurais que eram abastecidas pelo mesmo manancial.

A informação foi prestada pelo prefeito Francisco Dantas Ricarte (Bodim), ao falar das dificuldades que já estava enfrentando para suprir as deficiências, agora agravadas com o corte total de qualquer fornecimento através do sistema da Cagepa – “Já perfuramos 06 poços na zona urbana, que se somam aos outros seis já existentes e estamos montando chafarizes nos bairros e no centro da cidade”, explica o prefeito, informando que recebeu 05 caixas, de dez mil litros do governo do estado, mas está gastando o que não tem para instalar os poços e adquirir mais caixas e outros itens necessários para atender a comunidade.

Na zona rural do município existem, também, alguns pontos críticos, a exemplo da Malhada vermelha, Ferreira, Guedes, Impoeiras além do Distrito de Tambor e as comunidades de Angical e Lages, que também recebiam água do açude São Joaquim.

A Cagepa tem adutoras ligadas em três açudes no município de Cachoeira dos Índios, nos mananciais de Cachoeira da Vaca e Riacho do Meio – (que já haviam secados) e São Joaquim, que secou, agora, restando apenas lama no seu porão.

O prefeito Bodim disse que precisa, urgentemente, de três carros pipas para abastecer a zona urbana, já que o exército trabalha com 06 pipas para abastecer as comunidades rurais e o município dispõe apenas do Pipa doado pelo governo federal para atender a demanda.

 

BLOG DO ADJAMILTON PEREIRA

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *