Política, Cotidiano, Esportes, Memória & afins

Meu animal de estimação

AM3 – 250×250

Sim, já sei, seu animal de estimação é cachorro. Ou gato. A maioria dos que gostam de criar animais tem estima por esses dois bichos. E passarinho engaiolado, também. Não é à toa que o comércio desse ramo é milionário.

Tenho uma colega que tem quatro gatos que são tratados a pão de ló. Só com alimentação mensal ela gasta quatrocentos reais. Pelo que percebi de sua fala tem mais carinho por seus felinos do que com os filhos, “porque já estão todos bem-criados”. Disse.

Certa vez fui a um churrasco e um dos convivas confessou que estava gastando mais dinheiro com a saúde de seu cãozinho, que passava por problemas seríssimos, do que com seus filhos. É tanto que havia desembolsado mais de cinco mil reais em clínica veterinária particular para tratar seu animalzinho, e, seus filhos, quando tinham algum problema de saúde iam para assistência pública, mesmo consciente da precariedade desse serviço. Disse.

O coração e o bolso de cada um determinam sua paixão por animais. Nunca gostei de criá-los. Respeito os que gostam, que amam. Em minha casa, quando criança, animal nenhum tinha espaço para acolhimento, porque era exaustivo para minha mãe dar conta de dez filhos, como era natural a prole de antigamente, imagina agregando cães e gatos.

Minha filha é doida para ter um cachorro aqui em casa, mas eu e minha esposa mantemos a tradição de nossas famílias sem o aconchego desse fofinhos. É a velha história: quando tiver seu lar ela criará seu dog.

Mas abri uma exceção e resolvi atrair a atenção de beija-flores. Comprei um bebedouro desses tradicionais com a alimentação correta, de acordo com as normas do Ministério da Saúde e da Anvisa, e dependurei o reservatório nos caibros do telhado da varanda.

Quando estou em casa, e quando eles aparecem, fico apreciando o ato da natureza em colocar um helicopterozinho parado no ar e após sugar o alimento se transformar num Tupolev, um dos aviões mais rápidos existentes, rasgando o ar e desaparecendo.

Mesmo tendo flores nos canteiros do jardim de casa, eles gostam dos dois tipos de alimentos disponíveis. Ah, o custo mensal para manutenção de meus beija-flores não passa de vinte reais.

Vamos respeitar quem não gosta de animal nenhum.

E vou avisando logo: Não se admire se um dia, um beija-flor invadir, a porta da tua casa, te der um beijo e partir. Foi eu que mandei o beijo, que é pra matar meu desejo. Em tempos de coronavírus, faz tempo que não os vejo, caros amigos, e estou com muitas saudades d’ocês, como disse Vital Farias, que já assisti show do próprio cantando esse seu clássico do cancioneiro nacional.

TATYANA
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.