Maranhão diz que Ricardo perdeu um aliado forte


mara-correio

O presidente estadual do PMDB, o ex-governador José Maranhão, disse na tarde desta quinta-feira (20), em entrevista ao programa Correio Debate, da 98 FM Rede Correio Sat, que o pré-candidato à reeleição, governador Ricardo Coutinho (PSB), perdeu um aliado forte, referindo-se ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB).

Maranhão disse, ainda, que na época da aliança do seu partido com o PSB que elegeu Ricardo Coutinho prefeito da Capital, o socialista resolveu romper a aliança e se candidatar a governador do estado e não teria lhe comunicado da sua decisão.

“Ricardo nunca achou que seus aliados, vis mortais para ele, merecessem explicação sobre suas decisões. Existia na cúpula nacional a ideia de que ele entrasse em composição comigo e fosse candidato a senador. Mas não cheguei a conversar isso com ele”, disse o presidente do PMDB.

Maranhão disse, ainda, que tomou conhecimento sobre o lançamento da candidatura de Ricardo ao Governo do Estado nas eleições passadas através da imprensa. “Não recebi nenhum comunicado formal”, reforçou.

Questionado sobre se participaria de solenidade de posse, em caso da esposa dele, a presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Fátima Bezerra, ter que assumir o Governo do Estado, em face a licença do governador Ricardo Coutinho, e impossibilidade do vice-governador Rômulo Gouveia, o presidente do PMDB foi taxativo. “Não seria de bom tom eu estar presente”.

Fortalecendo alianças – O ex-governador e presidente do PMDB, José Maranhão, disse também que abre mão da candidatura ao senado para fortalecer as alianças em torno do nome do pré-candidato do seu partido, o ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rego.

Maranhão disse que será candidato a uma vaga na Câmara Federal porque acredita que o partido precisa fortalecer o nome de Veneziano em torno das alianças e não se considera um político personalista.

Ele garantiu que o pré-candidato do PMDB não está apático diante da propagação, principalmente na imprensa on line, dos nomes dos potenciais pré-candidatos Ricardo Coutinho (PSB) e Cássio Cunha Lima (PSDB), por conta do rompimento da aliança entre ambos.

“Isso tudo não altera o prestígio e a força de Veneziano. Enquanto todo mundo discute o rompimento da aliança que elegeu Ricardo, Veneziano trabalha na surdina, com as bases nos municípios que não querem se manifestar agora para não perder as benesses do governo do Estado”, disse.

PORTAL CORREIO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *