[JOSÉ ANTONIO DE ALBUQUERQUE] Ensinar: vocação de Cajazeiras


AjudaAEscrever

Diz a tradição que a cidade de Cajazeiras sempre foi vocacionada para a o setor educacional. Esta tradição vem cada vez mais se consolidando. Desde os tempos do Padre Rolim, em 1837, quando fundou a sua escola, que o setor que mais tem elevado e destacado o município de Cajazeiras é o educacional.

O ano de 2003 foi simbólico. Senão vejamos: além dos vários cursos já oferecidos pelo Campus da Universidade Federal de Campina Grande, foram se consolidando os cursos de enfermagem, mantido pela Faculdade Santa Maria e o curso de magistério superior patrocinado pela Associação Educacional São Francisco.

A Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras, órgão da Diocese de Cajazeiras, que cuida do ensino de 3º grau, em todo o território da Diocese, mantém a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras com o curso de filosofia e por determinação do Bispo Dom José Alonso, foram preparados os projetos para criação dos cursos de Direito, Serviço Social, Ciências Contábeis e Comunicação Social. Vale ressaltar ainda a contribuição valiosa do poder público municipal que liberou os recursos para elaboração dos projetos.

O prefeito de então, Carlos Antonio, com sua visão, reuniu-se com o Bispo Dom José e técnicos ligados ao ensino bateu o martelo e incorporou a ajuda da municipalidade. Numa ação que merece elogios, se envolveu no projeto de ver crescer e se desenvolver o ensino superior em Cajazeiras.

Uma ação decisiva de Carlos Antonio, como prefeito, foi com relação ao curso de Medicina, quando efetivou a participação da edilidade municipal ao patrocinar e pagar o projeto deste curso para que se desse o pontapé inicial junto ao Ministério da Educação e aos órgãos superiores da UFCG, tendo a frente o Reitor Thompson Mariz, que teve também, com sua audácia e coragem bateu o martelo final para que o curso fosse instalado em Cajazeiras e não em Patos ou Sousa que ficaram em pé de guerra e defendendo a todo o preço que o curso fosse para estas cidades.

Desde então estas entidades começaram a andar com seus pés: desde a Faculdade Santa Maria, que a cada dia vem ampliando o leque de ofertas de seus cursos, incluindo Medicina e Arquitetura, bem como a escola São Francisco que implantou o Curso de Direito e Odontologia.

Não podemos esquecer a Escola Técnica Federal, cuja criação em nossa cidade foi uma ação do deputado federal Edme Tavares, hoje transformada em Instituto Federal de Educação, que já tem também vários cursos superiores e vem se constituído motivo de orgulho para todos nós filhos de Cajazeiras, pelas conquistas a nível nacional e internacional através de estudos e pesquisas realizadas pelos seus professores e estudantes.

Desde o ano de 2003 que a cidade vem experimentando este diferencial no setor da educação e provocando mudanças em diversos setores da economia, principalmente no imobiliário e comercial, que cresceu muito e somente uma boa pesquisa poderá provar os avanços econômicos e sociais que o setor educacional vem provocando em nossa cidade.

Não podemos esquecer, repito que o grande responsável pelos avanços que a cidade teve foi o então prefeito de Cajazeiras, por dois mandatos: 2000/2008, que com sua visão, pode mostrar e defender que a grande vocação da cidade era a educação e hoje está mais do que provado que ele tinha a mais absoluta razão.

Memória – Guardei comigo um trecho do discurso de posse de Lula, proferido no dia 01 de janeiro de 2003: “Quando olho a minha própria vida de retirante nordestino, de menino que vendia amendoim e laranja no cais de Santos, que se tornou torneiro mecânico e líder sindical, que um dia fundou o Partido dos Trabalhadores e acreditou no que estava fazendo, que agora assume o posto de supremo mandatário da Nação, vejo e sei, com toda clareza e com toda a convicção que nós podemos muito mais”.

Reproduzo esta fala de Lula só para lembrar que foi no seu governo que foi criado o Curso de Medicina de Cajazeiras, numa prova inconteste que os grotões de miséria deste Nordeste também moram brasileiros dignos de terem também direito a educação.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *