Jornal destaca vereadores de Cajazeiras como “gastões” de diárias


12308637_748928008570539_3732128415396554752_n

Enquanto prefeitos atrasam salários e demitem servidores, câmaras esbanjam dinheiro… Se para muitas famílias, a crise econômica deste ano representou o adiamento de viagens já programadas, o mesmo não se aplicou aos vereadores paraibanos. Em meio a orçamentos apertados, muitos deles encheram os bolsos com valores pagos em diária, prepararam as malas e embarcaram em viagens pelos quatro cantos do país e até para a Europa.

O presidente da Câmara de Santa Rita, Anésio Miranda (PSB), por exemplo, não economizou em sua viagem a Portugal e ainda resolveu dar uma “esticadinha” durante sua estadia na Europa. A viagem do parlamentar custou aos cofres da Câmara quase R$ 24 mil. No Sistema de Acompanhamento e Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres), do Tribunal de Contas, consta que o pagamento é relativo a despesas durante a viagem (R$ 8 mil), passagens aéreas (R$ 3 mil) e a diárias (R$ 12.626). O valor custeou a estadia durante o 15º Seminário Binacional sobre Sustentabilidade Urbana e Responsabilidade Social, em Lisboa. Contudo, há divergências entre o número de diárias concedidas ao presidente. Apesar de o evento ter ocorrido em apenas cinco dias, entre 14 e 18 de setembro, Miranda recebeu quantia referente a 9 diárias. O valor gasto pelo presidente em diárias representa 30,7% de toda a despesa da Câmara com a rubriga até agosto (R$ 41.035).

A crise também parece ter passado longe da Câmara de Cajazeiras. Entre janeiro e agosto deste ano, a Casa torrou R$ 120 mil somente com pagamento de diárias e lidera os gastos no Estado. Apesar do valor ser referente apenas a oito meses, o gasto já é 35,7% maior que o verificado no ano passado (R$ 88.350) e 26,3% se comparado a 2013, quando o pagamento de diárias atingiu R$ 111.600. Enquanto a prefeitura cortava despesas para tentar manter o pagamento do funcionalismo público em dia, os vereadores de Cajazeiras recebiam em suas contas diárias de até R$ 3.500 para visitar deputados federais em Brasília, participar de eventos na capital e até para prestigiar a posse de um deputado na Assembleia Legislativa. Os vereadores Marcos Barros, Lindberg Lira e Alysson, receberam R$ 3.500 em diárias, cada, para participar de uma marcha de vereadores em Brasília. Foram sete diárias para um evento de três dias.

Atividades pouco relacionadas com a atuação parlamentar… 

A motivação das viagens dos vereadores de Cajazeiras é muito variada, às vezes pouco relacionada com a atividade parlamentar. O vereador Jucinério Felix embolsou R$ 3 mil em diárias para uma estadia de seis dias em São Paulo, para o Encontro Nacional de Articulação Gay. O mesmo valor foi pago a outros seis vereadores para visitas aos gabinetes de deputados federais e ministérios.

A Câmara Municipal do Conde, município da Região Metropolitana de João Pessoa, apresentou a segunda maior despesa do Estado com pagamento de diárias. Os gastos alcançaram R$ 80 mil, principalmente para cobrir despesas dos parlamentares em viagens às capitais nordestinas. Os pagamentos variam entre R$ 9 mil e R$ 1.440 por vereador. Os parlamentares que mais receberam diárias foram Luiz de Bihino (PTdoB) e Fábio Tatu (PTdoB). A vida social agitada dos dois vereadores rendeu aos cofres da Câmara uma despesa de R$18 mil.

Mesmo durante o recesso parlamentar, Luiz de Bihino representou o Legislativo em evento que aconteceu em Ara- caju, de 27 a 31 de janeiro. No mês de abril, o parlamentar preparou as malas para participar de outro evento, desta vez em Maceió. Em julho ele retornou a Maceió para um seminário e embarcou, em agosto, para um encontro de agentes públicos em Natal. O roteiro de Fábio Tatu não foi muito diferente. Somente este ano o vereador viajou duas vezes a Maceió, uma a Natal e outra a Aracaju. Diferente dos vereadores do Conde, em outros municípios do interior a maioria dos gastos com diárias é referente a deslocamentos para João Pessoa. Os gestores dizem que o gasto se justifica pelo fato de a sede do governo do Estado, Tribunais de Justiça e de Contas, além de secretarias, estarem na capital. João Pessoa e Campina Grande apresentaram uma despesa bem menor com diárias. Na capital, o gasto foi de R$ 36.660, enquanto em Campina o valor não passou de R$ 10.750. A medida é reflexo de denúncias ocorridas no passado.

COM INFORMAÇÕES DO JORNAL DA PARAÍBA

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *