Jeová Campos justifica ausência da ALPB nos últimos dias e critica esvaziamento do plenário


Deputado_jeov_Campos_durante_sess_o_deste_dia_07_na_ALPB

Ao retomar as atividades em plenário na manhã desta quinta-feira (07), o deputado estadual, Jeová Campos (PSB), justificou sua ausência das atividades durante as sessões da ALPB, por problemas de saúde, e lamentou o baixo quórum da Casa. “Para estar aqui hoje, antes me submeti a uma sessão de terapia de alongamento, pois estou com uma lesão nas vértebras C5 e C6, e estou sob medicação para reduzir a dor persistente que tenho sentido nos últimos dias, mas muito me entristece ver esse plenário com poucos deputados, porque não gosto de ver esse plenário vazio, nem de muito menos dar causa a isso. Só faltei nos últimos dias porque não levantava da cama de tanta dor, o fazendo apenas para ir à fisioterapia”, afirmou o parlamentar.

Jeová aproveitou e fez da Tribuna um breve relato das duas últimas audiências da Frente Parlamentar da Água, realizadas nas cidades de Itaporanga e Patos, na última segunda-feira (04) e aproveitou para convidar os parlamentares presentes a participarem das atividades da Frente que serão realizadas nas cidades de Esperança e Picui, nesta sexta-feira (08). “A situação que estamos encontrando por onde passamos é muito grave, não há água, em alguns locais, nem para o consumo humano, para beber, e isso é uma calamidade”, disse o parlamentar, endossando a decisão do governador Ricardo Coutinho de que não vai liberar recursos para festas de São João e ao invés disso redirecionará os investimentos para o enfrentamento da seca. “O governador está certíssimo, pois a situação é de calamidade e não tem nada mais relevante do que isso agora”, reforçou Jeová.

O deputado ainda reforçou a necessidade dos parlamentares da Casa participarem mais das ações da Frente e enalteceu a importância da bancada federal se envolver nesse trabalho. “Quero reiterar que esse trabalho da Frente é apartidário, não tem dono, é de todos porque sem água não há desenvolvimento. A bancada federal tem o poder de destinar recursos, de pressionar o governo federal, o Ministério da Integração para direcionar recursos para a região, por isso é importante que esse trabalho seja abraçado pelos parlamentares federais nordestinos que representam 1/3 do Congresso Nacional e também pelos deputados estaduais da Paraíba”, lembrou Jeová, lamentando que ainda existem parlamentares na ALPB que ainda não se convenceram que esse é um tema que deve ser abraçado por todos.

O deputado Buba Germano também se pronunciou fazendo um relato do cenário do Curimataú, Cariri e Seridó. “A situação é preocupante. O açude de Várzea Grande só tem 7% de sua capacidade e o que faremos com uma população de 100 mil pessoas que dependem desse reservatório quando ele entrar em colapso?”, questionou o parlamentar, que enalteceu o trabalho da Frente Parlamentar da Água presidida pelo deputado Jeová Campos. Segundo Buba, não há um plano B de enfrentamento da seca e isso é um prenúncio de uma calamidade anunciada. Outros parlamentares, a exemplo de Renato Gadelha e Trocolli Júnior, também enalteceram a preocupação com o tema e elogiaram os trabalhos da Frente Parlamentar da Água, conduzida pelo deputado Jeová Campos, com o apoio da presidência da Casa.

ASSESSORIA

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *