Política, Cotidiano, Esportes, Memória & afins

Jeová Campos chama atenção para o uso da reserva de recursos hídricos de Mãe D’Água

AM3 – 250×250

COREMASS

O presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, deputado Jeová Campos, voltou a alertar sobre a importância do uso racional dos recursos hídricos do reservatório de Mãe D´Água. Isto porque, ao se reunir na manhã desta sexta-feira (27), com representantes do Distrito de Irrigação do Perímetro Irrigado Várzea de Sousa- Dpivas, o parlamentar tomou conhecimento de que as águas do reservatório ainda estão sendo utilizadas para a irrigação de plantações.

Segundo o parlamentar, que retoma suas atividades na ALPB na próxima segunda-feira (30), com apenas 15% de sua capacidade total, o reservatório de Mãe D´Água precisa ser preservado ao máximo. “Essa é a única fonte de água que temos para abastecimento de todas as cidades da região e ela está com apenas 15% de sua capacidade total, que equivale a 89 milhões de metros cúbicos, de forma que não podemos continuar utilizando suas águas para irrigação, apenas para o consumo humano”, destaca Jeová.

Ainda de acordo com Jeová, além da baixa capacidade de Mãe D’Água e diante da realidade atual e das nada favoráveis previsões climáticas e de chuva para o próximo ano, é preciso redobrar ainda mais a atenção. “A perspectiva de chuva é muito ruim e o que se vislumbra é o agravamento da crise hídrica que só terá uma solução quando chegar as águas da transposição do Rio São Francisco, que só estão previstas para o final de 2016 ou começo de 2017, e se até lá acontecer alguma intercorrência, o que faremos se Mãe D’Água entrar em colapso?”, adverte Jeová, lembrando que o reservatório ainda tem parte de sua água direcionada para Piranhas/Açu que supre a demanda da cidade de Caicó (RN) que se encontra em colapso, além de outras localidades na Paraíba e no Rio Grande do Norte.

“Se Mãe D’Água entrar em colapso, da cidade de Santa Luzia até Cajazeiras, todas as localidades ficarão sem água. Isso seria um caos e precisamos nos prevenir para que isso não ocorra e uma das ações mais eficazes é direcionar o uso da água apenas para o consumo humano e, assim mesmo, com muita racionalidade, porque de onde se tira sem repor, um dia acaba”, finaliza Jeová.

NEWS COMUNICAÇÃO
TATYANA
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.