Investigados na Operação Calvário queriam implantar esquema na Prefeitura de Cajazeiras

Município aparece no mapa como um dos que tinha projetos em andamento com a Cruz Vermelha

TATYANA
AM3 – 250×250

A suposta organização criminosa composta pelo ex-governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), as deputadas Estela Bezerra (PSB) e Cida Ramos (PSB), além da prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB), atingiu a administração estadual, mas também penetrou o poder Legislativo e as prefeituras, conforme denúncia divulgada, nesta segunda-feira (13), pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB).

A denúncia apresentada pelo MPPB contra 35 integrantes suspeitos de participação no suposto esquema de desvio de recursos públicos do Estado, entre 2011 e 2018, investigado pela Operação Calvário, cita que todo o esquema criminoso foi pensado para ‘invadir’ municípios e ‘tomar’ as prefeituras paraibanas.

Segundo o anexo da colaboração do operador da Cruz Vermelha, Daniel Gomes, o município de Cajazeiras aparece no mapa como um dos que tinha projetos em andamento com a organização social, tendo, inclusive, havido contato inicial com o prefeito, o que não significa que as tratativas tenham evoluído.

Veja abaixo o mapa que mostra as prefeituras que interessavam ao suposto esquema criminoso:

Em parte do documento, o MP classifica a corrupção do grupo como ‘sistêmica’, que ‘fez escola e conseguiu fazer morada’. Leia trecho da denúncia: 

“Em narrativa, uma corrupção entendida como sistêmica que, com uma voracidade jamais vista, sequestrou o Poder Executivo do Estado da Paraíba, penetrou no Legislativo e, fazendo escola, conseguiu fazer morada, com a expansão deliberada de seu “modelo de negócio”, em diversas Prefeituras desta unidade federativa”.

De acordo com o Ministério Público, o operador da Cruz Vermelha, Daniel Gomes, teria pago mais de R$60 milhões em propina a políticos e agentes públicos envolvidos no esquema de desvio de dinheiro. O sistema ainda seria composto por uma ‘rede de laranjas’, formados por membros de uma mesma família.

COM INFORMAÇÕES DE: MAIS PB FONTE 83
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.