Internacional e Atlético de Cajazeiras empatam sem gols no Tomazão


O tempo fechou no intervalo de Internacional-PB e Atlético-PB no Estádio Tomazão, em João Pessoa. Enquanto os jogadores se encaminhavam para os vestiários, após o final da primeira etapa, atletas e comissão técnica dos dois clubes se envolveram em um bate-boca que teve que ser apartado pela Polícia Militar. Inflamados pela falta que gerou a expulsão do atacante Luciano, do Trovão Azul, ambas as equipes discutiram por quase cinco minutos.

Tudo começou com o último lance do primeiro tempo, quando o atacante atleticano Luciano voltou para ajudar a marcação e acabou dando forte entrada em Birungueta, meia do Colorado. Após muita reclamação, o árbitro Emanuel Diniz expulsou o camisa 9. A falta não causou perigo e após o encerramento da etapa inicial, o bate-boca foi do gramado até a porta dos vestiários. A confusão seguiu e só foi interrompida com a chegada da Polícia Militar.

Depois do jogo, com as cabeças mais frias, atleticanos e colorados disseram que tudo não passou de um mal-entendido e jogaram a responsabilidade para os respectivos adversários. O zagueiro Fernando disse que o Inter começou todo o tumulto por não ter gostado da entrada de Luciano na falta. Mas tratou o caso como algo casual, de jogo.

– Eles não gostaram da entrada e acabaram levando para o lado pessoal. Tudo isso resultou na discussão, mas não foi nada demais. Tudo de jogo – afirmou Fernando.

No lado rival, o técnico Índio Ferreira apontou o Atlético como o causador da confusão e relembrou que esse tipo de atitude não é novidade no time de Cajazeiras.

– O bate-boca partiu do pessoal do Atlético e eu acho isto uma falta de respeito. Mas esse tipo de comportamento é corriqueiro entre eles. Tanto fora quanto dentro de casa, quase sempre eles arrumam problemas. Eles têm que rever tais atitudes porque o futebol é um esporte e devemos zelar pela integridade física de quem está jogando – destacou Índio Ferreira.

Mesmo com ânimos exaltados, nem Inter nem Atlético conseguiram tirar o zero do marcador. O empate deixou o Trovão Azul com 15 pontos, em segundo lugar. O clube pode ser ultrapassado pelo Campinense em caso de vitória da Raposa contra o CSP neste domingo.

Já o Internacional, soma 13 pontos e perdeu a oportunidade de ultrapassar o adversário. Apesar do deslize, o Colorado ocupa a terceira colocação e depende de combinação de resultados para se manter no G-4.

GLOBO ESPORTE

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *