Incrível braço biônico agarra objetos no ar


braco-bionico

Há algumas coisas que um robô não pode fazer, mas agarrar um objeto a voar já não é uma dessas impossibilidades. [Os 6 robôs mais estranhos já criados (com videos)]

 

Com seus quatro dedos numa mão de três juntas, um novo robô consegue agarrar uma bola, uma garrafa ou uma raquete de ténis lançada na sua direção em menos de cinco centésimos de segundo, informaram os pesquisadores hoje (12 de maio) na revista IEEE Transactions on Robotics.

 

Os membros robóticos de reacção rápida têm muitas aplicações potenciais. Eles poderiam ser usados ​​em satélites para limpar algum do lixo espacial em órbita, ou em carros para conter um impacto.

 

“Cada vez mais presentes nas nossas vidas diárias e utilizados para executar várias tarefas, os robôs serão capazes de apanhar ou esquivar objetos complexos em pleno movimento”, disse Aude Billard, chefe da equipa da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), que desenvolveu o braço.

 

Para apanhar objetos voadores, um robô deve reagir a eventos imprevisíveis e integrar várias informações em muito pouco tempo, disseram os pesquisadores.

 

Muitos robôs hoje têm pré-programados comportamentos e fazem cálculos que levam muito tempo para que respondam numa situação que muda rapidamente, como apanhar um objeto em movimento.

 

Para alcançar tais respostas rápidas, os pesquisadores inspiraram-se em métodos de aprendizagem humanos de imitação e tentativa e erro. Eles usaram uma técnica chamada “programação por demonstração”, em que o robô não recebe instruções específicas.

 

Em vez disso, os pesquisadores guiam manualmente o braço para apanhar algo várias vezes, até que o robô aprende a mover-se por si só até essa mesma posição. A equipa testou o braço ao lançar-lhe vários objetos diferentes.

 

Os objetos foram uma bola, uma garrafa vazia, uma garrafa meio cheia, um martelo e uma raquete de ténis. Esses objetos têm diferentes centros de gravidade, apresentando desafios únicos para o robô.

 

Durante a primeira fase de aprendizagem, os pesquisadores lançaram objetos ao robô várias vezes. O robô usou uma série de câmeras posicionadas em torno dele para medir a trajetória, a velocidade e a rotação do objeto, a fim de modelar o seu movimento.

 

Em seguida, ele realizou um cálculo rápido para se mover na direção certa , corrigindo a sua trajetória em tempo real e sincronizando os seus movimentos com os dedos para apanhar rapidamente o objeto.

 

O braço robótico já está a ser usado como parte do projeto Cean-mE, da EPFL, que pretende desenvolver tecnologias para recuperação e eliminação de lixo espacial em órbita da Terra, disseram os pesquisadores.

CIÊNCIA ONLINE

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *