Hospital Napoleão Laureano: Jubileu de Ouro pela vida


CLEMILDO BRUNET

Um marco na história da medicina da Paraíba, o Hospital Napoleão Lauriano em João Pessoa completou no dia 24 de fevereiro do corrente, 50 anos de atividades de bons serviços no combate ao câncer, finalidade para qual fora criado, numa época em que os recursos da ciência para debelar o mal eram ainda parcos, para resultados satisfatórios de cura.

O seu idealizador médico Napoleão Rodrigues Laureano acometido da doença e desenganado pela medicina assentou em seu coração o firme propósito de se instalar uma unidade hospitalar na Paraíba para pelo menos, amenizar os sofrimentos dos que fossem visitados pelo o infortúnio da enfermidade terminal.

Não é possível em hipótese alguma separar a história do Hospital Napoleão Laureano do seu idealizador. Pois bem: Napoleão Laureano nasceu no dia 22 de agosto de 1914 no então distrito de Natuba, pertencente ao município de Umbuzeiro micro região do Cariri paraibano. Filho do tenente Floriano Rodrigues Laureano e dona Theofila Bezerra da silva.

Em 1943 concluiu o Curso superior de Medicina pela faculdade de Medicina do Recife hoje Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. Fixou residencia em João Pessoa à Rua Monsenhor Walfredo 663 no bairro de Tambiá instalando seu consultório médico na Rua Barão do Triunfo 474. Teve brilhante atuação profissional no antigo Hospital São Cristovão que posteriormente foi denominado Hospital Newton Lacerda.

Na redemocratização do País em 1945, ingressou na política sendo eleito Vereador pela UDN legenda a qual se filiara. Na primeira eleição da Mesa diretora da Câmara municipal de João Pessoa foi escolhido Vice Presidente, entretanto assumiu de imediato a presidência em razão do Presidente – vereador Miguel Bastos, ter assumido a prefeitura da capital, pois o prefeito e o vice-prefeito entraram de licença para tratamento de saúde. Posteriormente o edifício sede do legislativo pessoense recebeu o nome: Casa Napoleão Laureano.

Prestigio e liderança o fizeram ser eleito presidente do legislativo pessoense para o período 49/51 e, mesmo ausente já doente, foi reeleito para novo biênio em 12 de março de 1951. Tinha amplo destaque na política e era muito conceituado no exercício de seu trabalho na medicina, quando foi vitimado pelo câncer. Viajou aos Estados Unidos em busca de solução para sua enfermidade sendo atendido no Memorial Hospital de Nova York onde teve de ouvir a dura realidade de que seu mal já não tinha cura.

Na sua volta ao Brasil mesmo sabendo que lhe restaria pouco tempo de vida se dispôs a dedicar todo tempo que lhe restava a uma campanha de abrangência nacional, com o objetivo de dotar a cidade de João pessoa de um centro de combate ao câncer. Era o início de uma grande batalha para se obter recursos suficientes no combate ao câncer tendo como sede deste acontecimento, o Diário Carioca no Rio de Janeiro local onde se deu as reuniões para o levantamento da causa. As Rádios Mayring Veiga e Nacional transmitiam o evento e logo os primeiros recursos em doações começaram a aparecer.

Com os resultados em ascensão da captação de recursos em pouco tempo, foi proposta a criação de um órgão responsável para que gerenciasse o fundo financeiro que estava se formando. Assim sendo, foi criada a Fundação Napoleão Laureano, com a ressalva de que esse órgão recebesse o nome do médico-mártir.

Com muita honra e satisfação para nós pombalenses, a Fundação Napoleão Laureano, tem como seu Presidente atual o Dr. Antonio Carneiro Arnaud, médico de grande conceito e reconhecidos serviços prestados à Paraíba e a seu povo, não só como médico, mas também quando de suas ações como político, tendo uma brilhante atuação como Deputado Federal e Prefeito de João Pessoa.

O Dr. Antonio Carneiro Arnaud a frente da Fundação Laureano não tem medidos esforços no sentido de angariar fundos financeiros para manutenção do Hospital Napoleão Laureano e sempre relata a batalha que enfrentou de mais de uma década de 1951/1962 Ele sempre lembra o incentivo dado por Napoleão Laureano, que mesmo desenganado pela medicina, fez converter o seu próprio desengano em esperança aos que fossem atingidos pelo o mal que o vitimou.

É digno de registro também as participações efetivas do Senador Ruy Carneiro e do Deputado Federal Janduhy Carneiro, tios do Dr. Antonio Carneiro arnaud, como também do Presidente da República de então Getúlio Vargas, na construção dessa obra filantrópica gigantesca, para nossa pequenina Paraíba.

Parcerias
Todos os segmentos da sociedade paraibana reconhecem o trabalho desenvolvido pelo o Hospital Napoleão Laureano ao longo desses 50 anos de existência. Destacamos, portanto o apoio recebido:

  • Imprensa em suas versões escrita, falada e televisada.
  • Governos: Federal, Estadual e Municipal.
  • Congresso Nacional: Senadores e Deputados.
  • Entidades Civis: Fundação Itaú Social, Instituto Ronald McDonald, Rotay Club, Projeto Casa da Criança, Projeto Q-Alegria.
  • Serviços: Energisa, Correios e Telégrafos, Arte Arqutetura e Ambientações Ltda.
  • Indústria: Cerâmica Elizabeth, Açúcar Alegre, ChemoNE Indústria Química do Nordeste Ltda.
  • Comércio: Sonho Doce Recepções, Grupo Elfa, Comércio de Lubrificantes Pontes Ltda.
  • Marketing: Antares Comunicação.

O Hospital Napoleão Lauriano foi edificado em um terreno no Bairro de Jaguaribe doado pelo Governo do Estado, pelo então Governador José Américo de Almeida, em 02 de maio de 1952, medindo a extraordinária dimensão de 28.860m2. No entanto, em sua inauguração ocupava apenas 3.520m2 de área construída. Ao longo desses 50 anos houve ampliações na estrutura física e hoje conta com 12. 575m2 de área construída.

Sua primeira bomba de Cobalto foi adquirida em 1971 doada pela Instituição Católica Alemã, Misereor. Dez anos depois teve a contemplação do Governo do Estado com um Acelerador Linear, que deu início a evolução tecnológica do tratamento radioterápico do câncer. Não parando por aí evoluiu alcançando a fase da braquiterapia de alta taxa de dose, radioterapia conformacional e o sistema de planejamento tridimensional, equiparando-se aos avançados centros de tratamentos de câncer do Brasil.

Fazendo parte dessa evolução o Hospital passa da imagem convencional de Raio-x para a tomografia computadorizada e a ultrassonografia de alta resolução, alcançando ainda níveis de alto padrão, a exemplo da anatomiapatológica com imunohistoquimica, cirurgia com videolaparoscopia, microcirurgia, nutrição enteral e quimioterapia transfusionada por bomba de infusão com catéter venoso de longa permanência. Ainda foi feito investimento na informatização da referida unidade hospitalar, tendo sido criada a Seção de Tecnologia da Informação.

Livro-álbum
O livro-álbum que foi impresso para marcar o cinquentenário, “Hospital Napoleão Laureano – 50 anos pela vida”, cujo compêndio tive a honra de receber de presente das mãos do meu amigo e conterrâneo Carneiro Arnaud – atual presidente da Fundação Lauriano, registra textualmente as perspectivas do Dr. João Batista Simões, Diretor do Hospital Napoleão Lauriano para um futuro bem próximo.

Perspectivas
Continuaremos o trabalho com a mesma obstinação que empregamos nas cinco décadas que se passaram.
O Hospital continuará a dar passos em busca de horizontes científicos, jamais esquecendo o ensinamento da cancerologia.

Temos como objetivos para os próximos anos o aumento do número de leitos, a implantação do serviço de medula óssea, alcançar o desafio da medicina nuclear, ampliação da capacidade do atendimento ambulatorial e, como meta primordial, a manutenção da modernidade e a qualificação da assistência prestada com espírito humanitário.

31 de maio de 1951 falecia o Dr. Napoleão Laureano, depois de uma luta heroica contra o câncer, mas sua ideia não morreu. O Hospital Napoleão Laureano foi aberto mesmo com todas as dificuldades, mostrando que a dedicação de um homem enfermo iluminou a todos até que o sonho dele virasse realidade, despertando desse modo a opinião pública para a grandeza da obra que se pretendia e sua necessidade não só para a Paraíba, mas para todo Brasil.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *