Fósseis contrabandeados são requeridos pelo Ceará à Justiça de SP


geo-park-araripe_399x600

Cerca de 3 mil fósseis contrabandeados foram requeridos pelo estado do Ceará à Justiça Federal de São Paulo. Semana passada, as peças foram entregues à Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista. O pedido será feito pela Universidade Estadual do Cariri (Urca), sediada no sul do Ceará, região que é rica em fósseis e onde está o GeoPark Araripe, o primeiro das Américas reconhecido  pena Unesco, e que abriga vasto patrimônio biológico e paleontológico.

O professor do Laboratório de Paleontologia da Urca, Álamo Saraiva, afirma que entre as peças está o fóssil completo de um pterossauro. “Esse material é extremamente importante, é o primeiro fóssil completo de um pterossauro. Um material que pode fornecer informações importantes também sobre insetos, plantas e peixes”.

O fóssil do dinossauro que viveu há cerca de 100 milhões de anos contém partes moles como pele e tecidos de órgãos, que são achados raros na ciência. “A preservação de tecidos moles vai dar mais subsídios para entender grupos extintos, no caso os pterossauros”. A Urca já havia pedido a posse dos fósseis à Polícia Federal, em outubro de 2013, quando chegou a  notícia da apreensão. Mas, segundo o pesquisador, não houve resposta ao pedido.

TRIBUNA DO CEARÁ

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *