Expedito Moreira, o homem da Madeireira Sá

PERSONAGENS QUE FIZERAM E QUE FAZEM A HISTÓRIA DE CAJAZEIRAS

Expedito de Sá Moreira nasceu em Aurora (CE), em 2 de agosto de 1937. Era filho de Otávio Barbosa Moreira, nascido em Cajazeiras e que faleceu com 95 anos de idade e Maria Moreira de Sá, que foi a terceira esposa de Otávio e este matrimônio durou 32 anos, nascendo dois filhos desta união: José de Sá Moreira, conhecido como Primo Moreira e Expedito.

O pai de Expedito casou-se quatro vezes: a primeira esposa, Ducéria Rangel Moreira, faleceu sete meses depois do casamento; a segunda, Maria Rangel Moreira, faleceu sete anos depois e deixou sete filhos; a quarta esposa foi Teresa Martins Moreira com quem conviveu por 30 anos.

Expedito foi aluno do tradicional Colégio Salesiano Padre Rolim, onde concluiu o Curso Ginasial. Em Fortaleza (CE), fez o Curso Científico. Prestou vestibular para Agronomia em Areia (PB), mas logrou êxito e retornou para Cajazeiras, estabelecendo-se como comerciante na Rua Padre José Tomaz, onde fundou a Madeireira Sá, uma das lojas pioneiras no ramo de produtos para construção civil, quando, nesta época, existiam, em Cajazeiras, poucas lojas, dentre elas a Casa Ypiranga, de Álvaro Marques, e loja de ferragens de João Martins e a loja de Raimundo Limeira.

Durante os 42 anos em que foi lojista, Expedito não só contribuiu dando emprego e renda, mas se fez presente na vida social de Cajazeiras, ao fazer parte do Lions Clube, do qual foi presidente por dois mandatos e vice-governador do Distrito L-25. Como tal, fez questão de divulgar e exaltar Cajazeiras em todos os lugares e cidades em que se fez presente.

O homem da Madeireira Sá foi, ainda, um ativo radioamador, com o prefixo PR7AC, batizado na linguagem dos radioamadores como ESM: Eco-Sierra-Mike. Ainda hoje possui todos os equipamentos que, inúmeras vezes, ao lado do Monsenhor Abdon Pereira e do advogado Chico Dutra, prestaram muitos serviços à comunidade nos momentos de solidariedade, desastres e calamidade pública, quando as comunicações eram extremamente difíceis. Foi através do radioamadorismo que Expedito fez viagens ao exterior para abraças inúmeros amigos e companheiros.

Expedito diz ter muitas lembranças de seu tempo de jovem e de quando morava na Avenida Comandante Vital Rolim, em frente ao Banco Santander, quando sua mãe, Dona Maria, fazia umas deliciosas tapiocas com manteiga da terra para o café da tarde e tinha como um dos companheiros de mesa o também jovem João Claudino, que morava em uma casa de esquina em frente ao Banco do Nordeste, na Rua Padre Rolim.

Casado com a professora Teresinha Moreira de Araújo, que foi a primeira diretora do Grupo Escolar Costa e Silva, Expedito é pai  do advogado Reinaldo, que lhe deu os netos Adriana, Gabriela e Daniel, e da professora Révia Mara, mãe de Samuel.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *