Ex-policial desmente Carlos Rafael sobre caso de venda de sentença em Cajazeiras



O policial reformado Antonio Faustino registrou nesta terça-feira (07), um boletim de ocorrência na 2ª Delegacia da Comarca de Cajazeiras. O documento desmente o atual prefeito de Cajazeiras, Carlos Rafael (PTB) e o presidente do Sindicato Rural da cidade, Rigoberto Soares de Farias, mais conhecido por Rildo do Sindicato.

No documento Antonio Faustino declara que ficou revoltado com o que ele chama de “denúncia caluniosa”, e por essa razão, resolveu levar seu esclarecimento a mesma delegacia onde Carlos Rafael e Rildo prestaram queixa contra sua pessoa.

O B.O registrado por Faustino diz ainda que, as declarações de Carlos Rafael e Rildo são mentiras inventadas. Faustino garante ter provas testemunhais de que em nenhum momento chegou a dizer que sabia o resultado e nem tão pouco que estaria tudo certo com o juiz para o deferimento do registro de candidatura de Carlos Antonio (DEM).

Entenda o caso
O candidato a releeição de prefeito de Cajazeiras, Carlos Rafael (PTB), comentou em seu facebook que antes de sair a sentença do juiz Djacir Soares sobre o deferimento da candidatura do ex-prefeito Carlos Antonio já se sabia o resultado.

Segundo ele, quem lhe passou essa informação foi o presidente do Sindicato Rural da cidade, mais conhecido por Rildo do Sindicato, que estava almoçando em uma residência no Bairro São Francisco, quando teria chegado ao local o policial reformado Airton Faustino e confessado: “Está tudo acertado com o juiz… Está tudo resolvido… Amanhã a tarde sai a decisão…. O homem será mesmo candidato, vou me acabar de tomar whisky”

De acordo com Rafael, os depoimentos do policial ocorreram um dia antes de ser publicada a decisão do juiz que liberou a candidatura do democrata, Carlos Antonio, para prefeito de Cajazeiras.

Rildo do Sindicato e Carlos Rafael foram até a delegacia de polícia civil da cidade e registraram dois Boletins de Ocorrências (B.O). Rafael prometeu ir as últimas instâncias para revogar a decisão judicial.

COM REPORTAGEM DO DIÁRIO DO SERTÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *