[CLEMILDO BRUNET] O repórter e seu valor na sociedade contemporânea

TATYANA
AM3 – 250×250

Muito significativa a data de 16 de fevereiro para homenagear a um agente de noticia que tem seu valor perante a sociedade. Como um bom investigador o repórter vai à busca da verdade dos fatos. Para ele, não é bastante descobri a informação, ela tem que ser dada ao público numa linguagem clara, objetiva e acessível. Onde estaria à sociedade hoje se não existisse a figura exponencial do repórter? Muito mais agora, em que o desempenho de suas funções tem três modalidades distintas: Repórter cinematográfico, Repórter fotográfico e Repórter noticiarista, envolvendo-se em todas as mídias; jornal, rádio, revista, TV e Internet.

O repórter é um farejador da informação, sempre atento e antenado por uma boa reportagem. No início da carreira ele é conhecido por “foca” profissional inexperiente, principiante que fica deslumbrado com as primeiras tarefas que executa e muitas vezes deixa escapar detalhes importantes. Em pouco tempo ele vai largando a vida de “foca” e se aventura andando com as próprias pernas.

O repórter é o responsável direto pela elaboração das notícias que serão veiculadas em jornais, revistas e em programas jornalísticos de rádio e televisão. Cuidado este que ele tem que fazer desde a fase de pesquisa até a redação. Tem também o repórter que não redige a notícia, mas é encarregado de abastecer a redação com imagens do fato a ser noticiado. Trata-se do repórter fotográfico para jornal impresso, cinematográfico para televisão e o repórter de internet responsável por redigi para sites de conteúdo.

Lembro-me do Lord Amplificador único meio de comunicação em minha cidade que começou suas atividades em 1968. Todos “foca” ainda na profissão, tinham o maior interesse em aprender como dar a informação o mais rápido possível. Uma certa ocasião em que por medo de sofrer represália, ninguém quis assumir a patente de repórter policial; exceto Massilon Gonzaga, que com sua coragem enfrentou alguns desafetos cujos nomes foram listados na crônica da polícia; sentindo-se ameaçado, pediu ao delegado que o deixasse andar armado e foi prontamente atendido pela autoridade policial.

De outra vez, ainda novato no rádio (pois era principiante), o companheiro José Alves (Foto eu e ele no Jornal Maringá) que era redator da Rádio Maringá logo no início da emissora em 1982, foi enxotado da agencia do BB pelo subgerente do Banco do Brasil no momento de uma entrevista em razão de uma pergunta que em nada agradou o funcionário da casa. Como não obteve resposta e tendo sido mal tratado, José Alves redigiu a notícia somente com a versão que havia tomado conhecimento e me entregou para o boletim do Jornal Estadual da Rádio Tabajara. Tratava-se de uma denúncia grave feita por um vereador na tribuna da Câmara de Pombal contra o gerente da agencia local do BB. A noticia chocou a Superintendência Regional do Banco do Brasil em João Pessoa, que enviou a nossa cidade um emissário para esclarecimento dos fatos. Ironia do destino – José Alves depois veio a ser funcionário do Banco do Brasil.

Em seu livro Elementos do Jornalismo, Bill Kovach e Tom Rosenstiel (2003: 22-23) elaboraram uma lista com nove itens fundamentais para o exercício da profissão:

  • A primeira obrigação do jornalismo é a verdade.
  • Sua primeira lealdade é para com os cidadãos.
  • Sua essência é a disciplina da verificação.
  • Seus profissionais devem ser independentes dos acontecimentos e das pessoas sobre as que informam.
  • Deve servir como um vigilante independente do poder.
  • Deve outorgar um lugar de respeito às críticas públicas e ao compromisso.
  • Tem de se esforçar para transformar o importante em algo interessante e oportuno.
  • Deve acompanhar as notícias tanto de forma exaustiva como proporcionada.
  • Seus profissionais devem ter direito de exercer o que lhes diz a consciência.

No mundo atual em que vivemos é importante o papel do repórter em nosso meio. Quantas e Quantas emissoras não dispõem ainda desse personagem com tempo integral para essa tarefa e que fica mobilizando redatores e noticiaristas que trabalham na interna? Dessa maneira o fato deixa de ser registrado no momento que está acontecendo.

Repórter é aquele que ama ver, ouvir, ler tudo o que é notícia, gosta muito de fazer entrevistas e aparecer na telinha. Acompanha de pertinho todas as novidades que acontecem no dia a dia do seu país e do mundo.

O repórter pode trabalhar tanto no rádio como na televisão e, ultimamente até na internet.

Pegue um gravador, bloquinho de papel, uma caneta, faça uma entrevista com alguém que você admira. EXPERIMENTE SER REPÓRTER POR UM DIA!

VIVA O REPÓRTER – O MUNDO PRECISA DELE!

ART_CLEMILDO

 

 

ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.