Carlos Rafael diz que greve dos professores foi deflagrada por inveja da oposição devido ao sucesso do carnaval


O prefeito Carlos Rafael (PTB), declarou que o Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras (Sinfumc), tomou uma decisão precipitada quando optou pela deflagração da greve dos professores municipais, iniciada nessa segunda-feira (27).

Carlos Rafael disse que a prefeitura não está pagando o Piso Nacional dos Professores por falta de querer, mas, por falta de recursos. Ele explicou que a greve não atingiu 100% das escolas municipais, pois tem muitos profissionais que estão em sala de aula. “Entramos com ação na justiça pela ilegalidade da greve porque não foi uma deliberação dos profissionais da educação que estão em sala de aula”, frisou o gestor.

Segundo informações do prefeito, foi após o sucesso da realização do carnaval, que organismos da oposição de Cajazeiras se infiltraram no sindicato, culminado na greve por tempo indeterminado. “Foi depois do estouro do carnaval que algumas pessoas, por movimento político se infiltraram na assembléia e deliberam pela greve para tirar o brilho do evento, tentando diminuir esse que foi o maior carnaval da história da cidade”, acusou Rafael.

Cobrança

O ex-deputado Jeová Campos (PT), criticou a gestão do prefeito e disse ser inconcebível a “Terra da Cultura” ficar sem aula. “O carnaval foi lindo, parabéns, mas é feio os estudantes ficarem sem aulas.”

Jeová lembrou que o atual prefeito quando era vereador sempre esteve ao lado do sindicato, apoiando as greves e agora não pode ficar contra a categoria. “Não adianta dizer que os professores estão errados, quem está errado é quem não resolve os problemas que estão postos”, alfinetou o petista.

Com reportagem do Diário do Sertão

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *