Cardeal Arcoverde


Nos meus tempos de Professor e Secretário do Colégio Diocesano Padre Rolim, sob a direção do saudoso Mons. Vicente, aí pelo início dos anos 60, muitas vezes sentado à escrivaninha de trabalho – ainda se chamava de bureau, que depois virou birô, aportuguesado pela Nova Ortografia da época – buscava, nos arquivos ali existentes, fichas de matrículas de “famosos” que haviam estudado no nosso educandário.

Entre tantos, um nome me chamava a atenção: o do Cardeal Arcoverde. Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti nasceu em 17 de janeiro de 1850, no sítio Olho D’água dos Bredos, localizado em Cimbres, atual cidade pernambucana de Arcoverde, em sua memória.

Matriculou-se no nosso Colégio Diocesano em princípios do ano de 1863, portanto com a idade de treze anos. Este fato vem a corroborar o prestígio de que gozava, no Nordeste, a nossa instituição educacional. Com apenas dezesseis anos, em 1866, demonstrando vocação sacerdotal, a família atendeu ao seu desejo, possibilitando-o, com a ajuda de sua Diocese, Pesqueira-PE, ir estudar na Europa, fazendo-o matricular-se no Pontifício Colégio Pio Latino-Americano, em Roma, onde fez os cursos de Ciências, Letras, Filosofia e Teologia. Veio a ser ordenado sacerdote em 4 de abril de 1874.

Já no Brasil, ao lado de sua missão sacerdotal, exerceu a função de reitor do tradicional Seminário Menor de Olinda, onde também havia lecionado o nosso Padre Mestre Inácio.

Em 1888, o ainda sacerdote Joaquim Arcoverde rejeitou a nomeação para bispo da Bahia, cargo para o qual havia sido nomeado por Dom Pedro II, num tempo em que o poder temporal (político) exercia influências sobre o poder espiritual (religioso). Posteriormente, foi nomeado pelo Papa Leão XIII e empossado como décimo bispo de Goiás (1890 a 1891), de onde partiu para assumir o cargo de bispo-auxiliar de São Paulo (1892 a 1894), daí assumindo a missão de décimo bispo titular da Capital Bandeirante (1894 a 1897). Em seguida, foi designado 13º bispo e segundo arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro (1897 a 1930.

Em 11 de dezembro de 1905, sob as bênçãos do Papa (hoje Santo) Pio X, foi nomeado primeiro Cardeal do Brasil e da América Latina. Seu lema: Domini Fortitudo Nostra (Nossa Força do Senhor). Faleceu, no Rio de Janeiro, aos oitenta anos, em 18 de abril de 1930.

Em Cajazeiras, é homenageado com o nome de uma artéria, a Praça Cardeal Arcoverde, fronteiriça a nossa Catedral. Uma curiosidade: muitos ainda julgam que a praça com o seu nome seria aquela localizada por trás da Prefeitura Municipal, esta titulada de Praça Dom João da Mata. É uma homenagem a tão importante personalidade que passou pelos bancos escolares do tradicional Colégio Salesiano/Diocesano Padre Rolim.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *