TATYANA

Cajazeiras vivencia onda de assaltos, furtos e arrombamentos

População está com sensação de impunidade e insegurança

105
AM3 – 250×250

A população de Cajazeiras está, mais uma vez, preocupada com a onda de assaltos, arrombamentos e furtos na cidade.

São registrados, todos os dias, furtos, arrombamentos e assalto fazendo vítimas tanto em residências quanto em estabelecimentos comerciais, deixando a sensação de impunidade e total insegurança.

Elementos entraram na Escola Estadual Dom Moisés Coelho, de onde levaram um portão. A Unidade Básica de Saúde do bairro Tancredo Neves, na zona norte, também foi arrombada. Os elementos levaram aparelho de TV e computador.

São inúmeros os relatos de assaltos à mão armada, fazendo cidadãos vítimas, sendo subtraídos tanto objetos, celulares, dinheiro e até motocicletas. Um assalto foi registrado na Rua Sinfrônio Braga, no bairro Cristo Rei, tendo como vítima Maria de Lourdes.

Conforme informações repassadas pela vítima, um homem não identificado, um uma moto Yamaha YBR, de cor preta, e armado com um revólver, anunciou o roubo e subtraiu um aparelho celular.

O professor Reudesman Lopes fez um desabafo no seu perfil do Facebook clamando por segurança. Ele teve sua casa arrombada enquanto estava em João Pessoa. Reudesman se diz indignado com a falta de segurança.

“O pior é que não temos a quem recorrer”, disse.

Uma loja também foi arrombada durante a madrugada na Rua Coronel Peba. Os elementos levaram toda a mercadoria, como roupas, relógios e calçados.

Na zona rural, o clima também é de insegurança. Estão matando o gado e levando a carne. Casos de assaltos também já foram registrados e o clima entre os moradores da zona rural é de medo.

São esses fatos que têm deixado a população apreensiva tanto em Cajazeiras como em municípios vizinhos, que clamam às autoridades, principalmente ao Governo do Estado, por mais segurança.

A população até reconhece que polícias Militar e Civil fazem a sua parte, investigando e prendendo os autores dos crimes, mas, infelizmente, todos são soltos pela Justiça, principalmente os menores de idade, que voltam a roubar, assaltar e traficar.

Segundo a polícia, muitos, inclusive menores, são dependentes químicos. Eles furtam, roubam e até assaltam para manter o vício.

FONTE: GAZETA DO ALTO PIRANHAS
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.