Cajazeiras se mobiliza para sediar Zona Franca do Semiárido


semi

A cidade de Cajazeiras deverá iniciar um forte movimento para ser contemplada com a sede da Zona Franca do Semiárido, conforme o texto original da Proposta de Emenda Constitucional de autoria do deputado federal Wilson Filho. O Movimento dos Amigos de Cajazeiras (MAC), juntamente com outros segmentos da sociedade civil organizada e a classe política, se articulam para discutir o assunto, numa audiência pública marcada para o próximo dia 11 deste mês.

A cidade está iminência de perder essa condição de sede para Juazeiro do Norte, em virtude de uma proposta defendida pelo deputado pernambucano Gonzaga Patriota e parlamentares do vizinho Estado do Ceará, que altera o projeto original. Gonzaga Patriota é o relator da comissão, e vem argumentando que o projeto pode não prosperar com a sede definida em Cajazeiras. Ele acha que a cidade não tem a infraestrutura necessária, citando, especialmente, a questão da falta de aeroporto funcionando regularmente. Por isso, a defesa de Juazeiro do Norte.

O deputado paraibano Wilson Filho, autor da PEC, que inicialmente foi proposta pelo ex-senador Wilson Santiago, está se articulando com as forças políticas de Cajazeiras para definir essa mobilização pela manutenção do projeto original, e vem contando também com o apoio de outro parlamentar paraibano, o deputado Hugo Mota, que é o presidente da comissão especial criada para debater o assunto.

Hugo Mota defende a mesma tese da classe política e da sociedade civil de Cajazeiras. Ele defende o projeto original com a sede em Cajazeiras, em virtude da sua localização geográfica, e argumenta que a criação da Zona Franca tem o objetivo, exatamente, de ser indutor do crescimento dos municípios do semiárido nordestino. A infraestrutura que falta, segundo ele, virá com a concretização do projeto.

De acordo com o projeto do deputado Wilson Filho, a nova Zona Franca será semelhante à de Manaus, e terá benefícios fiscais pelo prazo de trinta anos, cabendo ao governo federal demarcar a extensão da região, com um raio mínimo de 100 quilômetros, a partir de Cajazeiras.

GAZETA DO ALTO PIRANHAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *