TATYANA

Brinquedoteca contribui para recuperação de crianças internadas no HUJB

40
AM3 – 250×250

Os cinco dias de internamento da pequena Emanuelle Gonçalves, de três anos, no Hospital Universitário Júlio Bandeira da Universidade Federal de Campina Grande têm sido amenizados graças a um elemento que, muitas vezes, passa despercebido: a casinha da Brinquedoteca. “Meu pai disse que ela é minha”, assegura. A mãe, aos risos, comemora os momentos de lazer da filha dentro do hospital, que para ela ajudam na recuperação da pequena.

A brinquedoteca do HUJB está sendo estruturada para oferecer uma melhor assistência às crianças que passam dias internas na unidade hospitalar. O espaço lúdico, montado em uma área aberta do hospital, chama a atenção desses pequeninos pacientes. “Por ela, passava o dia inteiro aqui”, revela a dona de casa Luciene Gonçalves, moradora de Cajazeiras.

Um plano de ação para normatizar o serviço está sendo montado pela Comissão de Humanização. O documento deve ser concluído até março deste ano para que a brinquedoteca do HUJB seja inserida no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e assim sejam otimizados processos de melhorias no ambiente. Em 2017, foram realizadas reformas no teto da brinquedoteca, a fim de reduzir o calor e tornar a temperatura do espaço mais agradável.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente, Hérika Nunes, já estão assegurados recursos de R$ 30 mil para compra de novos brinquedos, já no primeiro semestre deste ano. “Todos os hospitais universitários vão receber uma verba do Ministério da Saúde direcionada para material de consumo com o objetivo de equipar esses espaços. Esse montante será repassado à Ebserh que destinará para as filiais”, afirmou.

O principal objetivo desse instrumento é proporcionar um local para brincadeiras e interação com os outros pacientes. São muitos os benefícios à saúde, principalmente emocionais, que a brinquedoteca hospitalar traz para as crianças, entre eles manter a autoconfiança, ajudar a superar a adversidade pela qual estão passando, promover o encontro com outras crianças que estão na mesma situação, prepara-las para enfrentar situações novas, e estimular o seu desenvolvimento.

Espaços lúdicos, como a brinquedoteca hospitalar, proporcionam condições para que a família e as pessoas que vão visitar a criança estejam com ela em um ambiente favorável e que não aumente sua condição de vítima. Também há a possibilidade para que, as crianças que não podem sair do leito, possam ter acesso a brinquedos e livros lúdicos.

COM INFORMAÇÕES DA EBSERH
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.