Bodinho fecha primeiro ano de mandato sob pressão das ruas e da Justiça

TATYANA
0
AM3 – 250×250
bodinho-01
Em Cacheoria dos Índios, a gestão é lenta e burocrática

O primeiro ano de mandato chegou ao final, mas a população de Cachoeira dos Índios não tem muito o que comemorar nesses doze meses de administração do prefeito Bodinho do DEM.  O modelo de gestão bastante lenta e a falta de diálogo com o povo têm gerado conflitos difícil de apagar.

Educação – Logo nos primeiros meses de governo, Bodinho, travou uma queda de braços com o sindicato dos professores por não pagar o Piso Nacional e a gratificação dos docentes garantidos por lei federal. O desentendimento foi o suficiente para um princípio de paralisação da classe e o resultado caiu, como sempre, em cima do alunado que saiu prejudicado. A greve acabou,  depois de promessas do prefeito em resolver as exigências dos profissionais da educação, mas o problema ainda persiste.  Em Cachoeira dos Índios, na área da educação,  só se ouve críticas e lamentações. Bodinho alega falta de recursos.

Diárias – A população de Cachoeira dos Índios também não concorda com os gastos com diárias feitos por ele.  Em termos reais o valor em diárias deve chegar, até o final de dezembro deste ano,  a 160 salários mínimos. A população não absorve e contesta o montante.

Saúde – A pressão dos funcionários da saúde do município tem sido constante, os servidores  alegam que  os vencimentos bases dos profissionais de  nível superior é um dos piores do Brasil. A insatisfação dos servidores das saúde de Cachoeira  dos Índios pode ser vista no rosto de cada um. O prefeito não fala sobre o assunto.

Justiça –  Além das pressões das ruas e dos sindicatos de classe, Bodinho  enfrenta os tribunais. O prefeito  foi demandado pelo Ministério Público Federal (MPF) por improbidade na contratação de artistas e bandas musicais com verbas do Ministério do Turismo (MTur) para os festejos de emancipação política e São João. As irregularidades ocorreram nos Convênios nº 123/2006 (valor de R$ 76.690,00), nº 838/2007 (R$ 72.900,00) e nº 535/2008 (R$ 144.200,00), firmados entre o município e o MTur.

Devido a tantos problemas de administração, a popularidade de Bodinho encolheu e a maioria da população já não acredita mais na renovação tão anunciada por ele em campanha.

RADAR SERTANEJO
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.