Atlético de Cajazeiras e Sousa empatam sem gols no Estádio Perpetão


atlet

Atlético e Sousa deram neste domingo mais uma prova de que, no futebol, placares de 0 a 0 não significam necessariamente que o jogo foi ruim. Porque os dois times não conseguiram abrir o placar no Estádio Perpetão, em Cajazeiras, onde jogaram pela quinta rodada da primeira fase do Campeonato Paraibano de 2016, mas ainda assim fizeram uma partida vibrante, cheia de possibilidades e muitos lances bonitos. Somado a isto a festa que a torcida fez em Cajazeiras, o que se viu foi um clássico a altura da rivalidade que envolve as duas cidades.

Apesar de toda esta festa, contudo, o resultado foi o pior possível para os dois times. O Atlético segue na lanterna do Grupo B, bem distante dos rivais, mas ao menos conseguiu marcar seu primeiro ponto na competição. Ainda assim, a situação é difícil. A equipe tem quatro derrotas e um empate e segue sem vencer na competição. Já o Sousa chegou aos seis pontos e caiu na tabela, saindo da zona de classificação.

Na sexta rodada, que abre os jogos de volta desta fase, o Sousa vai receber dentro de casa o Esporte de Patos, no Estádio Marizão. Já o Atlético, mais uma vez em casa, recebe o Auto Esporte no Estádio Perpetão. Os dois jogos estão marcados para o próximo domingo e acontecerão simultaneamente às 16h.

Ainda um pouco de equilíbrio

O Sousa começou melhor. Indo para o ataque. Buscando espaços. Tentando o gol. Era melhor em campo e não se intimidava por estar jogando fora de casa. Só não conseguia chegar com real perigo porque o Trovão Azul se fechava bem, mas mandava no duelo. Aos 20 minutos, Leílson na pequena área com extremo perigo, mas chutou para fora. Ninguém sabia ainda. Mas aquela chance desperdiçada acordaria o time da casa. Porque a partir daí, o Atlético se impôs. E em dois lances seguidos, quase abriu o placar. No primeiro, Araújo obrigou Ricardo a fazer uma difícil defesa. No lance seguinte, Lelê deu de bicicleta. Ricardo defendeu e no rebote atleticano, a bola ainda bateu na trave sousense.

Supremacia atleticana

Segundo tempo. O jogo permaneceu o mesmo, mas agora com Robinho em campo. Logo de cara, ele quase marcou aos cinco minutos, e nos momentos seguintes levaria o time ao ataque mais algumas vezes. A resposta sousense só viria aos 26, com Édson Curiús, que entrara para driblar a zaga, passar pelo goleiro, mas sem ângulo errar a finalização. A partir daí, só de Trovão Azul. Principalmente depois da expulsão de Israel. Mas o empate não se alterou, ainda que no minuto final o goleiro Ricardo precisasse evitar mais um “quase gol” atleticano.

GLOBO ESPORTE

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *