Política, Cotidiano, Esportes, Memória & afins

Atlético de Cajazeiras e demais clubes da Série D pedem cota financeira da CBF

AM3 – 250×250

Os jogadores dos 68 clubes da Série D do Campeonato Brasileiro se organizaram e vão pedir para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) uma cota financeira para as equipes da competição terem condições de disputar o torneio em 2020 e evitar demissões de mais de 2 mil atletas, número estimado de profissionais envolvidos na Quarta Divisão. André Hernan analisa o impacto na Série D do Brasileirão no mais novo episódio do Aquele Última. Veja no vídeo acima.

O tom no documento, assinado por capitães dos times, é para a entidade não esquecer da Série D, que possui clubes com orçamento limitadíssimo, com dificuldades de estrutura, comparado a outras divisões do futebol brasileiro. O pedido dos jogadores será protocolado nesta segunda-feira.

O QUE PEDEM OS JOGADORES DA SÉRIE D?

  • Atenção especial da CBF com a Série D do Brasileiro
  • Distribuir cotas de participação na Série D, auxiliando os clubes nas despesas mensais;
  • Manter a fórmula do campeonato, considerada ideal, importante para manter os 2 mil atletas empregados até novembro de 2020;

“Ninguém vai colocar a faca no pescoço da CBF, pedimos uma ajuda”

O documento com a assinatura dos capitães dos clubes da Série D pede uma abertura com a CBF para encontrar soluções para o campeonato. O advogado Filipe Rino, especialista em direito esportivo, auxilia os atletas.

– A CBF precisa olhar também pra maior competição nacional do país. A Série D emprega de forma direta milhares de atletas profissionais que em sua maioria necessitam muito nesse momento de uma ajuda da entidade mãe do futebol brasileiro. Que os clubes da Série D e federações estaduais se unam assim como fizeram os das Séries A, B e C, em busca de soluções pra esse momento difícil que passa o nosso país – explicou o goleiro do Altos, Rodrigo Ramos, capitão do time piauiense.

– A ideia surgiu depois do movimento que vimos com os clubes da Série C fazendo. Resolvemos fazer um grupo, colocamos os capitães das equipes da Série D e acabou dando certo. Temos as assinaturas desses jogadores. Ninguém vai colocar a faca no pescoço da CBF, o que estamos fazendo é pedindo a ajuda da entidade maior do futebol brasileiro. Esses são os nossos pedidos, somente vocês (CBF) podem nos ajudar nesse momento. Parabéns pela união de todos capitães dos clubes da Série D – comentou o goleiro.

Em 2020, a Série D do Brasileiro mudou de fórmula e teve um número maior de jogos, saltando de 16 datas para 26. Uma fase preliminar foi aprovada, além de uma fase de grupos com 14 rodadas. A competição preenche todo o calendário do segundo semestre, com a final prevista para novembro.

TATYANA
ELIANE BANDEIRA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.