ALPB aprova, por unanimidade, criação da Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim


Que sertanejo não conhece a célebre frase: “Cajazeiras, cidade que ensinou a Paraíba a ler”, atribuída ao poeta, advogado e político, Alcides Carneiro? A citação tem justificativa histórica e faz menção ao legado do Padre Inácio de Sousa Rolim (o Padre Rolim), que realizou uma verdadeira “revolução” educacional e religiosa no município, por volta de 1829, atraindo estudantes de várias cidades e de outros estados do Nordeste com seu Colégio. Reconhecido em vida por seu trabalho com condecorações imperiais, elogios e referências ao seu ensino, agora o Pe. Rolim dará nome a uma honraria que será destinada a pessoas que se destacarem nas áreas educacional e religiosa. O projeto de Resolução nº 16/2019, que institui a Medalha “Padre Inácio de Sousa Rolim – PADRE ROLIM”, uma propositura do deputado estadual Jeová Campos (PSB) foi aprovada, por unanimidade, na sessão desta terça-feira (23).

O parlamentar que é professor universitário, disse que sua iniciativa significa um reconhecimento do Poder Legislativo a um cidadão que revolucionou a história da educação e ensino religioso na Paraíba. “Vocês já imaginaram em 1800 nascer um sertanejo que falava dez idiomas, que escreveu uma gramática em grego, que fundou um colégio e mudou a realidade de muitos cidadãos e que ainda por cima foi um grande abolicionista e conseguiu mostrar a Paraíba que é pela educação que se muda o mundo e que nunca abandonou a Paraíba, apesar de inúmeros convites, e formou gerações de paraibanos”, disse o parlamentar.

De acordo com Jeová, o Padre Rolim, na sua obstinação educacional, arregimentou jovens para lhes abrigar sob o mesmo teto e lhes transmitir as primeiras letras, marco inicial do mais importante educandário do estado da Paraíba. Por isto, este Parlamento faz justiça quando reconhece a importância de grande homem para o desenvolvimento da Paraíba”, reiterou Jeová Campos na defesa de seu Projeto. “Seja o Anchieta do Norte, como foi cognominado pelo Imperador Dom Pedro II, o Educador dos Sertões, o Padre-Mestre Rolim, ou simplesmente Inacim, o fato é que a importância dessa personalidade para a Paraíba é inegável, ao ponto de o Padre Rolim ser considerado não só um “patrimônio de Cajazeiras”, mas de todos os paraibanos”, lembrou o deputado.

Foram inúmeros os alunos que passaram pela escola do Padre Rolim entre 1829 e 1877. Alguns ilustres, como o Padre Cícero Romão Batista; Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti (cardeal Arcoverde); José Peregrino de Araújo (Governador da Paraíba); Leonardo Salgado Guarita (Promotor e desembargador do tribunal de Apelações do Rio Grande do Sul); desembargador José Manuel de Freitas, Juiz de Direito, presidente das Províncias do Piauí, Maranhão e Pernambuco); Padre José Tomás de Albuquerque, dentre outros tantos que se projetaram nos cenários político, cultural e social do país.

O Projeto aprovado pela ALPB determina que a horaria será concedida a cinco personalidades, anualmente, em sessão Solene no parlamento. “Fiquei extremamente feliz em dar minha contribuição para reverenciar a memória deste grande educador e visionário, que enxergou na Educação o caminho para o crescimento das pessoas. Eu próprio, sou um exemplo de que a Educação muda o destino das pessoas”, disse Jeová, agradecendo a acolhida dos parlamentares que entenderam a importância de sua iniciativa e aprovaram a criação da medalha Pe. Rolim. “A ALPB não está, ao aprovar a matéria, tomando um ato deliberativo qualquer, mas reconhecendo um dos mais nobres cidadãos da Paraíba”, finalizou o parlamentar.

NEWS COMUNICAÇÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *