AC3 desiste de realizar o Baile do Reencontro


Uma das festas mais tradicionais de Cajazeiras, o Baile do Reencontro, que está na 16ª edição, deixará de ser organizado pela AC3 (Associação dos Cajazeirenses e Cajazeirados do Estado do Ceará) e poderá mudar de nome ainda neste ano. O anúncio foi feito pelo diretor de Políticas Públicas da AC3, Josias Farias.

Farias explicou que os membros da diretoria da associação estão sobrecarregados por outras obrigações profissionais e também precisam cuidar da saúde. Segundo ele, pelo menos dois membros passaram por cirurgias delicadas recentemente.

“Anualmente a gente faz essa avaliação por estar consumindo muito da gente. Claro que é uma responsabilidade grande e há a dificuldade da nossa presença física em Cajazeiras devido à distância [os membros moram em Fortaleza]. E esse ano aconteceu uma série de fatores que agravou a situação. Acumulou trabalho e ocorreram até problemas de saúde”, justificou.

Para que o Baile do Reencontro não seja extinto, a diretoria fez propostas à iniciativa privada a fim de que ela assuma a organização. A T Mídia se interessou, mas deverá trocar o nome do evento.

“Nós estimulamos outras entidades a prosseguirem com bailes semelhantes porque pra gente é um problema sério de consciência morrer a ideia”, frisou Josias Farias.

O diretor da AC3 diz esperar que haja uma compreensão dos parceiros, colaboradores e cajazeirenses e cajazeirados como um todo, diante de uma decisão amadurecida com profundidade ao longo do tempo por parte de todos que compõem a AC3.

“Adicionalmente, a consciência de que o próximo evento, embora similar, inclusive com outro nome, não contará com a nossa participação. Por questões atípicas ocorridas neste ano, em 2019 poderemos fazer outra avaliação a respeito. Muito bem fechado o Vídeo em apreço, expressando a nossa firme disposição na intensificação de apoios, agora com um pouco mais de tempo, com foco nas lutas coletivas dos Cajazeirenses e Cajazeirados por Projetos Estruturantes, de forma harmônica com todos os segmentos do município. Neste sentido, mantermos a nossa fidelidade aos princípios estabelecidos no Estatuto da AC3: Gestão Compartilhada, Profissionalismo, Transparência e Caráter Plural Suprapartidário”, disse Josias Farias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *