A voz na Ladeira do Cemitério

Gaiatice, fuleiragem e o mais puro espírito de cajazeirabilidade

Contada e vivenciada pelo fotógrafo Cavalcante Júnior: “O ano nem lembro mais… Sei que era na década de 1990. Eu acabava de fotografar um comício que, nessa época, era realizado na Praça Padre Cicero. Estava voltando a pé para casa, quase meia-noite, quando vou passando pela Ladeira do Cemitério e, de repente, ouço gritos vindos de dentro do cemitério: Fotógrafo! Fotógrafo!

Menino, me deu uma vontade de correr, mas as pernas não deixaram. Então resolvi responder à tal ‘alma penada’ que me chamava insistentemente.

Aí, vi que eram uns jovens vestidos de pretos, com um violão na mão, me chamando para fotografar eles dentro do cemitério, uns tais de góticos. Pobre de mim que nem sabia que existia isso…”

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *