A Faisqueira do Gazeta


Sem um pingo de água – Agricultor declarou numa roda de amigos, na feira livre de Cajazeiras, no último sábado, que na área onde está localizada a sua propriedade, ao sul da cidade, que nos açudes “não tem água nem para cobrir o pé de um sapo”. Tudo leva a crer que a seca deste ano vai ser igual a de 1958.

Tiro no pé – Um suposto grupo de Watsap denominado “Pois Zé Muda Cajazeiras” teria realizado um “diálogo” com os “adicionados” sobre o resultado da reportagem do programa Fantástico da Rede Globo de Televisão, apresentado no último domingo, dia 13 de fevereiro, sobre a “Operação Andaime”.

Tiro no pé 2 – Este grupo seria formado apenas com pessoas ligadas às oposições da cidade e defensores da candidatura do deputado estadual José Aldemir para prefeito de Cajazeiras. O fato é que se verdadeiro ou não o grupo e a troca de mensagens retratam com fidelidade a angústia das oposições da cidade com relação ao efeito produzido pela reportagem.

Tiro no pé 3 – O fato teve uma repercussão tão forte que culminou com a ida de pessoas citadas no referido grupo à delegacia de policia para registrar um Boletim de Ocorrência, na tentativa de identificar o autor ou autores do referido diálogo, que contém frases reveladoras do possível desespero das oposições por não terem ainda um nome para disputar a eleição da cidade.

Tiro no pé 4 – Comenta-se nos bastidores que tudo já estava preparado, para logo depois da reportagem ir ao AR, fazer um grande barulho, movido a bombas e foguetões no possível lançamento da candidatura de Zé Aldemir para a prefeitura, se Denise tivesse sido o alvo de acusações e denúncias no miolo da Operação Andaime na matéria do Fantástico, mas o “tiro saiu pela culatra”.

Tiro no pé 5 – As lideranças da situação aproveitaram o momento de crescimento da campanha entre os aliados, para aumentar e dar mais fôlego a militância, via Carlos Antonio e o secretário de saúde Heury, através de duas contundentes entrevistas, prestadas nas emissoras de rádio da cidade.

Tiro no pé 6 – Carlos Antonio, que não é candidato a coisa nenhuma, com ampla liberdade de falar sem ferir a legislação eleitoral, deitou e rolou e fez questão de detonar um dos principais envolvidos na Operação Andaime, Francisco Justino, acusando-o de “bandido e ladrão”. Estas declarações poderão ter desdobramentos imprevisíveis.

Via dolorosa – O ex-prefeito Carlos Rafael após a rejeição de suas contas vai iniciar uma via dolorosa aos tribunais da Paraíba em busca de defesa, principalmente de seus direitos políticos. Muito jovem ainda vai precisar de fôlego e tempo e dinheiro para voltar a ter o nome limpo.

IML – É impossível misturar dinheiro privado com o público para a construção do IML de Cajazeiras, principalmente nestes dias em que existe uma super vigilância na aplicação de verbas federais ou estaduais destinadas a obras. A verba pessoal do senador Raimundo Lira, no valor de um milhão de reais reaviva a esperança de que um dia a cidade de Cajazeiras possa ver esta obra construída e funcionando.

IML 2 – Está sendo aguardada com muita expectativa a audiência solicitada pelas entidades de Classe com o governador da Paraíba Ricardo Coutinho sobre a construção do IML, que segundo alguns observadores, deveria ter sido o primeiro passo antes de deflagrar a campanha para a sua construção. Não se sabe o que vai dizer o governador.

IML 3 – Não se tem conhecimento qual das prefeituras, que assinou o protocolo de intenção, que a partir do mês de janeiro de 2016 já repassou uma determinada quantia de dinheiro para a construção do IML de Cajazeiras. Possivelmente, depois da verba de Raimundo Lira, algumas poderão recuar desta intenção.

 

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *