Categorias
CAJAZEIRAS

A Faisqueira do Gazeta

CLIQUE E LEIA.

SEM SENTIDO  Os vereadores de Cajazeiras, em sua primeira reunião via online, poderiam ter entrado para a História, mas talvez tenham “pisado na bola” ao fazerem uma emenda a um projeto enviado pelo poder executivo com o objetivo de “acudir” os feirantes da cidade, que receberiam uma ajuda de 1.500 reais, dividida em três parcelas de 500 reais.

SEM SENTIDO  Por unanimidade aprovaram uma Emenda para ampliar para mototaxistas, taxistas e caixeiros viajantes, o que elevaria, de 109 mil reais para um milhão e meio de reais. Os recursos seriam do Empreender, que tem em caixa cerca de 78 mil reais. Resultado: o prefeito encaminhou o Projeto de Lei, com suas emendas para parecer jurídico e poderá até se concluir, dependendo da forma como foram feitas as emendas, acabar “matando”, os quase falecidos feirantes.

SEM SENTIDO  Talvez, a egrégia câmara municipal, tenha “jogado confetes” para outras categorias para tirar proveito político e por outro lado, sabendo que a matéria seria inconstitucional, por a batata quente nas mãos do prefeito e por tabela ficar “sujo” com as outras categorias. Lastimável. Mas lastimável mesmo é que até o líder do prefeito teria votado favorável à matéria. Abre os olhos Zé!

QUANTO VALE UMA VIDA?  Comenta-se a boca miúda pelas esquinas da cidade, que o crime executado esta semana na cidade de Cajazeiras, no Bairro de São José, teria sido contratado pela bagatela de dois mil reais. Quando se imaginava que este tipo de “negócio” havia sido extinto pelos sertões, ele ressurge com toda a força. Há tempos atrás existia uma lista de onze pessoas, em Cajazeiras, marcadas para morrer. Até o delegado da cidade sabia desta lista.

AVASSALADOR   A pandemia do covid 19, não tem apenas tirado a vida de pessoas em Cajazeiras, mas também os seus empregos, só entre o dia 1º de abril e 27 de maio, já deram entrada na Agência do ministério do Trabalho/Economia 260 pessoas solicitando o seguro desemprego, sem contarmos com as solicitações via internet. O Ministério tirou do ar os dados oficiais sobre desemprego no País. Os números de Cajazeiras impressionam.

FURADO  O decreto de fechamento de alguns estabelecimentos comercias de Cajazeiras está mais furado que tábua de pirulito, principalmente os bares, cujos proprietários dão sempre um jeitinho para atender aos viciados em uma pinga. E quando não tem jeito mesmo, os loucos por cachaça vão ao supermercado compram um ou dois litros, ficam embaixo de uma árvore e tome mé!

E A ROUBALHEIRA?  Parece que a maior pandemia do Brasil não é o coronavirus, mas o número de ladrões que povoam, como carniceiros, para conseguir um jeito de roubar o dinheiro do povo, saído dos cofres da União para os estados e municípios, principalmente nestes tempos em que são dispensadas as licitações. Felizmente a Polícia Federal começou a atuar e pôr atrás das grades os que estão desviando o dinheiro destinado a saúde. Vai-te embora satanás!

NEGADO  A assessoria do prefeito de Cajazeiras, médico José Aldemir, nega veementemente que estaria pagando “por fora” a alguns veículos de comunicação, sem passar pela empresa Sala 10, agência responsável pelas divulgações das ações administrativas da prefeitura.

NEGADO  Por outro lado, existe um ditado popular que diz: aonde tem fumaça, tem fogo, e esta conversa teria surgido na cidade através de um funcionário de um veículo de comunicação que faz questão de dizer em todas as rodas de conversas, que aonde ele trabalha “está tudo rigorosamente em dia”. A prefeitura, diante da crise, não vem pagando há meses os veículos de comunicação.

MARCOS BARROS  O vereador Marcos Barros, que contraiu o covid 19,  foi liberado para concluir o tratamento em casa, onde está fazendo sessões de fisioterapia e caminhadas para melhorar o sistema respiratório. Marcos tem recebido muitas manifestações dos amigos e correligionários pela sua breve recuperação.

ALÍVIO  Os prefeitos da Região do Alto Piranhas estão mais alegres que pinto em beira de cerca: o Presidente Bolsonaro sancionou a  A lei que trata da ajuda financeira a estados e municípios com vetos. A Lei Complementar nº 173, de 27 de dezembro de 2020, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (28). De acordo com o texto, a União entregará, na forma de auxílio financeiro, aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios, em quatro parcelas mensais e iguais, no exercício de 2020, o valor de R$ 60 bilhões para serem aplicados, em ações de enfrentamento ao novo coronavírus (covid-19).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *