A Faisqueira do Gazeta

Coluna semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas

Cidade do “já teve”   Cajazeiras está sem um representante no Congresso Nacional. Já tivemos o operante senador Raimundo Lira, na última legislatura, bem como Deca do Atacadão, que durante quatro meses, trabalhou como um “cão farejador” em tudo o que foi de ministério atrás de obras para a cidade. Ainda hoje se constrói com recursos oriundos de suas emendas parlamentares.

Sem retorno  Até o momento não se tem conhecimento de novas emendas, dos deputados que foram votadas em Cajazeiras, sequer para comprar uma cibalena para passar a dor de cabeça que o prefeito está passando. Atualmente ele anda com um pires na mão atrás de migalhas para “tapar” alguns buracos das finanças do município, mas tudo leva a crer que suas andanças para Brasília têm sido em vão.

Prefeito regional   Quem está chegando cedinho na residência do prefeito de Cajazeiras, médico José Aldemir, está encontrando mais gente de outras cidades da região pra ele atender do que da cidade de Cajazeiras. Ele deve está esquecido que tem uma reeleição às portas e ou ele cuida dos seus munícipes ou tá lascado, como se diz na linguagem popular.

Outros carnavais   Corre célere, como um rastilho de pólvora, a noticia de que o prefeito Zé Aldemir, deverá demitir quase a totalidade dos funcionários comissionados da prefeitura de Cajazeiras e o motivo é o mesmo dos anos anteriores, inclusive de outras gestões: falta de dinheiro. Pouquíssimos terão direito ao peru na ceia do Natal. A cada ano que passa o rombo é maior e a única saída é demitir, mas os demitidos devem ficar trabalhando para garantir a vaga no inicio do próximo ano.

E o concurso público?  Os aprovados no último concurso público da prefeitura de Cajazeiras estão aguardando ansiosamente por sua homologação. O processo já foi concluído e está faltando apenas uma canetada do prefeito convocando os aprovados para assumirem seus empregos. Quando será? Talvez, o Ministério Público, que teria “obrigado” a fazê-lo, vai obrigar também a homologação e contratação. E haja barriga pra empurrar!

Indignada  A deputada estadual, Dra. Paula Francinete, teria ficado indignada com as criticas que fizeram a senadora Daniela Ribeiro, sobre a compra feita por um sorvete e que teria sido debitada na verba de seu gabinete. No programa Trem das Onze, da Rádio Alto Piranhas, neste domingo, dia 29, fez uma contundente defesa da senadora.

Feliz   Quem anda feliz e dando boas gargalhadas é o prefeito Airton Pires, da cidade de São João do Rio do Peixe, desde o dia que sentou com João Azevedo, ainda candidato, e pôs na mesa sua proposta para nele votar: “estão aqui as obras que o município precisa”. A relação foi tão grande que até hoje Airton inaugura obras na sua cidade.

Bucho cheio   O próximo serviço a ser inaugurado na cidade é um Restaurante Popular, em convênio com o governo do estado, que será instalado no centenário Mercado Público, que foi restaurado externamente pela administração pública e a parte interna será toda recuperada pelo governo do estado (Suplan). E segundo Aírton, vem mais por aí. Tem meio mundo de pré candidato a prefeito querendo o apoio dele. Ele continua rindo.

Zé Mangueira  O prefeito de Triunfo, Zé Mangueira, vem conseguindo a duras penas, fazer uma administração exemplar, mesmo tendo nas mãos um município que talvez seja o campeão do estado em pagamento de precatórios, uma verdadeira herança maldita. Mesmo assim, observadores da política regional e os próprios adversários afirmam que sua reeleição são favas contadas. Quem planta colhe.

Junto até a morte   O ex-prefeito de Cajazeiras, médico Carlos Antonio, em entrevista prestada a imprensa de Cajazeiras, indagado com quem ficaria se houvesse um racha entre João Azevedo e Ricardo Coutinho, disse:  “Eu sou governo. Fui trazido para votar no governador João Azevedo pelo governador Ricardo Coutinho. Se essas divergências não convergirem, eu continuo apoiando em quem votei, que é no governador João Azevedo”.

Toca o barco pra frente   Ainda declarou: “Eu torço pela convergência. Eu acho que as ações políticas da Paraíba têm que convergir, e são dois grandes líderes. Eu acredito que eles possam encontrar uma convergência de união e que possam, com isso, continuar esse bom governo administrativo do governador João Azevedo. Se isso não for possível, a gente só faz lamentar e a vida continua”. No governo até o rabo do jumento é doce.

VIA GAZETA DO ALTO PIRANHAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *