A Faisqueira do Gazeta


aldemir-031

Frase da semana: “Brasília anda meio esquisita” – Governador Ricardo Coutinho no discurso de inauguração da Estrada do Amor, em Cajazeiras, no dia 21 de agosto.

Operação Andaime: primeira vitória – O advogado Jonas Bráulio de Carvalho Rolim, que havia sido denunciado pelo MPF, perante a 8ª Vara federal, com sede em Sousa, por suposta prática de fraude em processo judicial, na Operação Andaime, obteve um Habeas Corpus, trancando a Ação Penal em desfavor do advogado, por unanimidade, na 5ª Região Federal, em Recife.

O preço da liberdade – Ultimamente, com mais intensidade, os fiscais do IBAMA têm circulado em nossa região, com o objetivo de flagrar os “pegadores” de passarinho e quando encontrados aplicar as devidas multas. Um cidadão comentou: “estas operações custam uma fortuna: diárias, combustíveis, etc. e complementou: este é preço da liberdade de um passarinho, entenda este país se quiser.

Privilégio – Quem passa os olhos no Sagres e vê as prestações de conta da Câmara Municipal de Cajazeiras, observa alguns privilégios: o primeiro deles é com relação às publicidades pagas e depois com as diárias distribuídas entre os edis: nos dois casos uns com muito, outros com nada.

Grandioso racha – Talvez, analisam alguns observadores, que a saída do deputado estadual José Aldemir Meireles, depois de mais de uma década de convivência, do grupo de Carlos Antonio/Denise, seja o maior racha dos últimos tempos na política partidária de Cajazeiras.

Grandioso racha 2 – A justificativa de José Aldemir para romper politicamente, parte do principio de que é necessário um processo de renovação nas pessoas que disputam o poder no município, iniciado por Léo Abreu e Carlos Rafael, que naufragou em plena praia.

Grandioso racha 3 – José Aldemir chegou inclusive a citar nomes, dentre eles o do médico cajazeirense, Marcílio Cartaxo, filho de Deodato Cartaxo, que tem um círculo de amizade muito forte na cidade e na capital do estado que talvez, pelo amor a cidade, pudesse se envolver na política partidária do município, além de outro médico, Pablo Leitão.

Grandioso racha 4 – Comenta-se nas esquinas da cidade que José Aldemir estaria recebendo incentivos de uma boa parcela da classe média da cidade para ser o candidato das oposições e para isto estaria tendo o apoio do ex-prefeito e ex-deputado Antonio Vituriano de Abreu.

Uma voz na oposição – Depois que Vituriano de Abreu deixou de fazer o seu programa semanal, retransmitido pelas emissoras de Cajazeiras, se constituía numa voz forte das oposições da cidade. Sem mandato, Vituriano, pouco tempo tem aparecido na mídia, para fazer o que mais gostava: detonar as ações administrativas do governo Ricardo Coutinho.

Aprendendo – Enquanto isto, o deputado estadual José Aldemir está começando a aprender a ser oposição no município de Cajazeiras, até porque ele esteve tão misturado e junto ao grupo e ainda tem inúmeros amigos nele, que em alguns momentos tem tido o cuidado para não perdê-los ou feri-los com suas palavras.

Sem cabeça – Uma mula sem cabeça, esta é uma frase que se tem ouvido nas rodas políticas da cidade a respeito do PMDB, cujo diretório municipal de Cajazeiras não tem presidente e muito menos o resto da diretoria.

Detonou – Enquanto a prefeita Denise usa uma linguagem mais conciliadora e amena quando é pra combater os seus adversários, o ex-prefeito e seu marido, médico Carlos Antonio, bota pra quebrar, arrebentar e torar no meio e em determinados momentos tem sido cruel e ferino. Embora alguns correligionários o critiquem sobre as suas falas, mas o fato é o povão adora e vai à loucura quando ele esbraveja e sai atirando. A campanha em 2016, promete, e como promete.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *