[2005] Gerente de Negócios do BNB é seqüestrado em Cajazeiras

Das páginas do Gazeta do Alto Piranhas para a posteridade

Um seqüestro seguido de tentativa de extorsão foi registrado na noite da última quarta-feira, 10, em Cajazeiras, contra o gerente de Negócios da agência do Banco do Nordeste, renato Miguel de Morais Lisboa, 29 anos, e sua esposa Lucineide Carvalho de Oliveira Lisboa.

Segundo relato feito pela Polícia Militar, o fato aconteceu por volta das 20 horas, quando a vítima chegava em sua residência, na Rua João Alves da Silva, no Jardim Oásis. Dois elementos não identificados e de arma em punho anunciaram o seqüestro, levaram o gerente e sua esposa no próprio carro da vítima, em direção ao município de Catolé do Rocha.

Ao chegarem ao cativeiro, os elementos forçaram Renato Miguel Lisboa retornar a Cajazeiras com a missão de conseguir a quantia de R$ 300.000,00(trezentos mil reais). Era, portanto, o valor do resgate da esposa do gerente, que ficara em poder dos seqüestradores.

Ao retornar a Cajazeiras, Renato decidiu se comunicar com gerente geral do BNB, na cidade, Alexandre Ramari Vilas Boas, e com as autoridades policiais. A partir desse momento, o 6º BPM, sob o comando do tenente-coronel Fernando Chaves, mobilizou todo o seu efetivo.

Depois de várias tentativas de negociação. através do telefone da Senhora Lucineide Lisboa, e sem qualquer pagamento de resgate, os elementos abandonaram a esposa de Renato, num matagal que fica localizado nas proximidades de Catolé do Rocha. Uma ação rápida da PM, comandada pelo capitão Cunha, localizou a vítima e a conduziu para a sua residência em Cajazeiras.

A polícia fechou o cerco para tentar localizar os meliantes, conseguindo identificar e apreender, na tarde de ontem, uma moto utilizada no seqüestro. Segundo o repórter Ivanildo Dunga conseguiu apurar junto ao capitão Cunha, comandante da Companhia de Polícia Militar de Catolé do Rocha, uma moto Titan KS 150, de placa MMO 2529, de Catolé do Rocha, foi localizada no cárcere, onde a Senhora Lucineide Lisboa foi mantida.

Até o fechamento desta edição, a polícia já havia prendido um suspeito do seqüestro identificado apenas por Alberto. Também estava em diligências na cidade de Jericó, tentando localizar e prender outro elemento suspeito de ter guiado a moto apreendida no local do cativeiro.

GAZETA DO ALTO PIRANHAS – ED 348 (12 A 18/08/2005)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *