[2001] Rainha do cabaré dos anos 50 é encontrada morta

Das páginas do Gazeta do Alto Piranhas para a posteridade

Na tarde da última terça-feira, alguns agricultores que moram nas proximidades do sítio carrancudo, encontraram a senhora Francisca Pessoa, morta, em completo estado de putrefação, depois de ter desaparecido durante 20 dias do convívio dos seus familiares e amigos.

A senhora, que morreu aos seus 80 anos em estado de miséria e abandono, era, segundo os historiadores da cidade, uma das mulheres mais belas da zona sul, especificamente fazendo ponto nos pobres e antigos cabarés dos anos 50.

Chamada de “Chica Boa”, a falecida era aposentada, morava na Rua Vicente Leite, Asa Sul de Cajazeiras e, nos últimos dias, contava com a disponibilidade de poucos parentes, incluindo o seu irmão, o pedreiro Damião Mendes. Segundo ele, não pôde ter acontecido um assalto “já que a falecida não tinha nada o que oferecer” e havia deixado o dinheiro da sua aposentadoria, que acabara de receber, em casa.

“Ela sofria de epilepsia e pode ter tido um ataque sem ninguém saber”, explicou.

O servente de pedreiro Damião Izidro de Souza, sobrinho de Chica, disse que a família descartou a possibilidade de morte por estupro e que o estado dela, de completo queimor pelo corpo, deveu-se ao Sol escaldante.

“Procuramos minha tia por todo canto da cidade, até mesmo no lixão, onde ela gostava de ir e tinha alguns conhecidos por perto. Eu acredito que ela ‘se areou’ sozinha e não conseguiu voltar para casa. Mas é triste alguém ser encontrado numa situação dessas”, lamentou.

Além de morar sozinha na sua residência, “Chica Boa” já havia sido internada no Hospital Regional de Cajazeiras várias vezes por haver desmaiado em público, resultado da epilepsia, distúrbio que começou a ficar mais intenso, segundo seus familiares, depois que Chica passou dos 40 anos de idade.

GAZETA DO ALTO PIRANHAS – ANO 3 – Nº 105 (07 A 13/01/2001)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *